ENTRETENIMENTO

Ao completar 50 anos, Supla nega 'síndrome de Peter Pan': 'Só porque eu uso meu cabelo assim?'

03/04/2016 17:42 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:52 -02

Supla, o eterno Papito, completou 50 anos neste sábado (2).

Seu pai, o secretário de Direitos Humanos e Cidadania de São Paulo, Eduardo Suplicy, desejou felicidades com um dia de atraso em sua página no Facebook.

Parabéns Supla, muitas felicidades por seus 50 anos! Foram anos intensos, que merecem muitas comemorações. Por onde ando...

Publicado por Eduardo Suplicy em Domingo, 3 de abril de 2016


"Em verdade, Supla nasceu em 2 abril 1966, fez 50 anos ontem, mas como ontem fez um show em Cuiabá, vamos comemorar e festejar hoje em São Paulo", justificou o secretário na legenda da foto.

Nas redes sociais, a notícia caiu como uma bomba.

Todos ficaram surpresos com as cinco décadas do roqueiro de ideais anarquistas e célebre ex-participante da Casa dos Artistas, no SBT. Talvez por conta da famosa "síndrome de Peter Pan" (do astro que se recusa a envelhecer) pela qual o definem.

Em entrevista ao UOL, Supla revelou que tem recebido a nova idade apenas como "um c* de número", assim como os trinta anos de carreira recém-completados.

No entanto, ele já tem sentido mudanças físicas, como a queda de cabelo.

"Lógico que meu corpo mudou. Não é o mesmo de quando tinha 18. Perdi cabelo. Mas é a mesma coisa."

Com uma autobiografia recém-lançada (Supla - Crônicas e Fotos do Charada Brasileiro) e prestes a voltar à carreira solo - após sete anos ao lado do irmão João no duo Brothers of Brazil - o Papito revelou também algumas práticas importantes relacionadas à saúde que passou a assumir nessa fase da vida:

Estou tentando usar óculos. Mas meu olho está bom ainda, cara. Juro por Deus. Já faz quatro anos que faço exame de próstata. Esse ano não fui ainda. Mas só isso. Meu joelho às vezes dói, porque gosto de correr quase todos os dias. Coloquei dois pinos na perna em 1996, jogando futebol naquelas partidas semiprofissionais nos Estados Unidos. Fiquei um ano parado, e eu sou uma pessoa hiperativa. Nossa, estava subindo pelas paredes.

E ao falar sobre a famigerada síndrome, levantou a bandeira da liberdade individual, cutucando o preconceito alheio.

"Isso é papo de bunda mole. Você fez isso sua vida inteira e agora você vai mudar? Não. Você é o que você quiser. Se você quiser mudar, que mude. Mas o importante é se sentir bem, ser feliz. Cara, eu não tenho síndrome nenhuma de Peter Pan. Só porque eu uso meu cabelo assim? E daí? Vai ficar me julgando pelo meu cabelo? Pelo jeito que estou vestido, ou sei lá o quê? Pode me julgar. 'I don´t give a fuck!'"

Concordamos, Papito!