NOTÍCIAS
31/03/2016 19:02 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:52 -02

'Não vai ter golpe': 26 estados têm protestos a favor de manter governo Dilma

Edgar Maciel/HuffPost Brasil

Milhares de brasileiros foram às ruas nesta quinta-feira (31) para defender a democracia e a manutenção do mandato da presidente Dilma Rousseff.

O ato contra o "golpe", organizado por entidades sindicais, ocorreu em 26 estados e no Distrito Federal.

O dia 31 de março não foi escolhido por acaso pelos organizadores.

Em 1964, há 52 anos, os militares, apoiados por setores da sociedade civil e do empresariado brasileiro, depuseram o ex-presidente João Goulart, dando início aos 21 anos de ditadura militar no Brasil.

Segundo os organizadores, 45 mil pessoas participam da manifestação só em São Paulo, onde a concentração é na Praça da Sé, no centro da capital paulista.

O clássico de Geraldo Vandré, Pra não dizer que não falei das flores, está na ponta da língua dos manifestantes, que tomam a Sé.

Artistas e intelectuais se posicionam contra o impeachment. "Os artistas do Brasil precisam lutar contra o golpe", discursou a cartunista Laerte Coutinho.

Leci Brandão, cantora e deputada estadual pelo PCdoB, subiu no palco e cantou a música Zé do Caroço, clássico do samba brasileiro, que em sua letra faz uma crítica à manipulação nas favelas e nos morros das grandes cidades.

O presidente do PT, Rui Falcão, e outros políticos do partido em São Paulo também estão no ato na Sé.

"Michel Temer poderia terminar o mandato com honra, mas vai terminar como um golpista", acusa o presidente do PT paulista, Emídio de Souza.

O secretário de Direitos Humanos de São Paulo, Eduardo Suplicy, encerrou o ato na capital paulista. Ele também cantou Geraldo Vandré:

No Twitter, a hashtag BrasilContraOGolpe alcançou o topo de tópicos mais discutidos no Brasil.

Manifestações conta impeachment 31/03