NOTÍCIAS
28/03/2016 20:32 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:52 -02

'Impeachment não é golpe', diz ministro Barroso, do STF

Montagem/STF/PR

O principal grito dos manifestantes contra o impeachment - ‘não vai ter golpe’ - foi questionado pelo presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, e pelo relator do rito da comissão do impeachment na corte, ministro Luíz Roberto Barroso.

Aos jornalistas, após uma reunião com integrantes da comissão do impeachment, Lewandowski disparou:

"Golpe é uma expressão que pertence ao mundo da política e nos aqui usamos apenas expressões do mundo jurídico”

Em encontro com os mesmos políticos, Barroso reafirmou sua posição:

"Como eu disse e escrevi em novembro, eu acho que o impeachment não é golpe. É um mecanismo previsto na Constituição para afastamento de um presidente da República.”

Barroso afastou qualquer possibilidade de analisar o mérito da questão. O ministro enfatizou que o protagonismo é do Legislativo e que o STF é como um árbitro.

"Nesse Fla-Flu, o Supremo não tem lado. O Supremo é o árbitro desse jogo. O que caracteriza a democracia é o respeito às regras do jogo, quando se ganha e quando se perde.”

O ministro, porém, ressaltou que o impeachment não é um procedimento fácil. Na avaliação dele, é "complexo, traumático em qualquer democracia do mundo”.

LEIA TAMBÉM:

- Confusão armada na Câmara quando OAB entra com pedido de impeachment

- Do outro lado: PT e movimentos sociais já discutem como agir na oposição

- Judas recebe folga e bonecos de Dilma e Lula são malhados na Paulista