NOTÍCIAS
27/03/2016 19:09 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:52 -02

Pré-candidato democrata Sanders se diz embalado após levar três prévias nos EUA

Natalie Behring via Getty Images
PORTLAND, OR - MARCH 25: A bird lands on Democratic presidential candidate Bernie Sanders podium as he speaks on March 25, 2016 in Portland, Oregon. Sanders spoke to a crowd of more than eleven thousand about a wide range of issues, including getting big money out of politics, his plan to make public colleges and universities tuition-free, combating climate change and ensuring universal health care. (Photo by Natalie Behring/Getty Images)

Revigorado após vitórias nas primárias do Partido Democrata em três estados norte-americanos neste fim de semana, o pré-candidato à presidência dos Estados Unidos Bernie Sanders disse que o embalo de sua campanha pode ajudá-lo a conquistar o apoio dos líderes democratas em sua disputa contra Hillary Clinton.

Sanders venceu com facilidade nos estados do Alaska, de Washington e do Havaí neste sábado (26). Seus mais recentes comentários refletem a intenção de reduzir a vantagem de Clinton no número de delegados necessários para conquistar a nomeação do partido.

Entrevistado neste domingo (27) por emissoras norte-americanas, Sanders disse que os "superdelegados" democratas, que podem mudar de lado na nomeação, poderiam apoiá-lo porque algumas pesquisas de opinião mostram que ele tem mais chance do que Hillary de vencer um candidato republicano.

"O momento é nosso. Muito desses superdelegados devem repensar suas posições sobre Hillary Clinton", disse Sanders, que é senador pelo Estado de Vermont, ao programa State of the Union da CNN.

Cerca de 85 % dos votos em jogo na Convenção Nacional do Partido Democrata, entre 25 e 28 de julho, na Filadélfia, onde será definido o nome do partido para enfrentar os republicanos na eleição de 8 de novembro, serão determinados por eleições nos Estados.

Já os 15 por cento restantes estão na mão dos delegados do partido, que são livres para votar como quiserem, o que significa que eles podem decidir a nomeação caso a votação seja apertada. Entre os super-delegados estão líderes do partido e senadores eleitos, membros do Congresso e governadores.

Depois das primárias deste sábado, a ex-secretária de Estado norte-americana vence a disputa com Sanders por menos de 300 delegados. São necessários 2.382 para conquistar a nomeação. Clinton tem 1.712 delegados, contra 1.004 de Sanders, de acordo com estimativa do site RealClearPolitics.com.

O senador do Estado de Vermont precisaria conquistar dois terços dos delegados que restam para alcançar Clinton.

Sanders pediu aos superdelegados que considerem as pesquisas que estimam os confrontos entre vários presidenciáveis. O RealClearPolitics, por exemplo, mostra Sanders com uma pequena vantagem sobre Clinton em uma hipotética disputa contra o mais bem contado republicano, Donald Trump.

O Partido Democrata adotou o sistema de superdelegados no começo dos anos 1980 para dar aos líderes do partido mais controle sobre o processo de nomeação.

LEIA MAIS:

- Um roteiro para entender as eleições presidenciais dos Estados Unidos

- Mandatos para Ministros do STF e dos Justices da Suprema Corte dos EUA