NOTÍCIAS
22/03/2016 15:43 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:52 -02

Estado Islâmico assume autoria de atentados na Bélgica

Reuters

O Estado Islâmico reivindicou a responsabilidade pelos dois ataques a bomba que mataram pelo menos 30 pessoas em Bruxelas nesta terça-feira (22), disse uma agência de notícias ligada ao grupo.

"Combatentes do Estado Islâmico promoveram uma série de ataques a bomba com cintos explosivos e dispositivos nesta terça-feira, tendo como alvo um aeroporto e uma estação central do metrô", disse a agência de notícias Amaq.

Os ataques no aeroporto de Bruxelas e em uma estação de metrô no horário de pico na capital belga aconteceram quatro dias depois de a polícia de Bruxelas capturar o principal suspeito vivo dos ataques realizado por grupos jihadistas em Paris.

"Combatentes do Estado Islâmico abriram fogo dentro do aeroporto Zaventem, antes de vários deles detonarem seus cintos explosivos, assim como um mártir detonou seu cinto explosivo na estação de metrô de Maalbeek", disse a Amaq.

O grupo também confirmou a autoria do atentado em sua conta no aplicativo Telegram. "Prometemos à aliança cruzada contra o Estado Islâmico que eles terão dias negros em resposta à sua agressão contra o Estado Islâmico", disse o grupo jihadista.

Aeroporto

O aeroporto de Bruxelas, na Bélgica, informou que ainda não há informações de quando será reaberto depois dos ataques terroristas, embora as autoridades de tráfego aéreo tenha afirmado que os voos poderiam ser retomados na quarta-feira (23).

O aeroporto disse que "neste momento é impossível dizer quando as operações serão retomadas".

Cerca de 650 voos que iriam operar no aeroporto de Bruxelas foram canceladas após os atentados, informou a Eurocontrol, agência de gestão do tráfego aéreo europeu. A agência disse que o aeroporto ficará fechado pelo menos até a meia noite e que a equipe de crise se reunirá novamente amanhã de manhã.

Testemunho

Alex Rossi, da rede de televisão britânica Sky News, estava no aeroporto e relatou ter ouvido duas "explosões muito, muito altas".

"Senti o edifício se mexer. Também havia poeira e fumaça... fui em direção ao local da explosão e havia pessoas saindo e parecendo muito atordoadas e chocadas".

O engenheiro belga Thierry Dor estava dentro de uma aeronave, no aeroporto de Zaventem, em Bruxelas, quando foi surpreendido pelo aviso do piloto de que todos deveriam desembarcar.

“O clima é de consternação. No jornal de hoje tem muitos artigos sobre a prisão [de Salah Abdeslam, fugitivo procurado pelos atentados em novembro, em Paris] e de como seria o novo cenário agora que estão presos, que a polícia trabalhou muito bem. E isso [um novo atentado] justamente no mesmo dia”, lamentou.

Para ele, a convivência baseada em valores de direitos humanos será um desafio para o país.

“Tolerância está cada vez mais difícil [com a atuação de parte da população extremista religiosa]. Tentamos conviver juntos, mas está difícil”, diz o belga.

Todo o transporte público de Bruxelas foi interrompido, como foi feito em Londres em 2005, quando ataques de militantes no metrô mataram 52 pessoas. As autoridades pediram aos cidadãos que não usem as sobrecarregadas redes telefônicas, tropas adicionais foram enviados à cidade e o Centro de Crise Belga, claramente temeroso de um novo incidente, apelou à população: "Fiquem onde estão".

A rede de televisão pública VRT relatou que policiais encontraram um rifle de assalto Kalashnikov perto do corpo de um agressor no aeroporto. Este tipo de arma se tornou marca registrada de ataques inspirados pelo Estado Islâmico na Europa, especialmente na Bélgica e na França, entre eles os de novembro do ano passado em Paris.

Um cinturão de explosivos intacto também foi encontrado na área, afirmou a rede VRT. A polícia continua a vasculhar o aeroporto para o caso de haver mais bombas ou agressores.

Vídeos revelaram a devastação no terminal de embarque mostrando telhas e vidro espalhados pelo chão. Alguns passageiros emergiram do terminal com respingos de sangue nas roupas. Fotos publicadas em redes sociais mostraram fumaça emergindo do edifício do terminal através de janelas estilhaçadas e passageiros fugindo por uma rampa, alguns carregando suas bagagens.

A rede pública RTBF informou que a polícia está fazendo buscas em casas na área de Bruxelas.

De acordo com a CNN, em uma residência foi encontrada uma bandeira do Estado Islâmico e uma bomba de pregos.

Ataques na Bélgica