NOTÍCIAS
17/03/2016 21:39 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:52 -02

Prefeito do Rio, Eduardo Paes pede desculpas por ofender cidades do Rio em conversa com Lula divulgada pela Justiça

Meu pedido de desculpas sobre o diálogo divulgado.

Posted by Eduardo Paes on Thursday, 17 March 2016

Entre tantas conversas lamentáveis por políticos, interceptadas pela Operação Lava Jato, uma das que mais repercutiram nas redes sociais e na imprensa foi travada entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PMDB).

Paes faz uma série de declarações classistas, depreciando as propriedades que são investigadas pela Lava Jato como bens de Lula. Ele desqualifica municípios como Maricá, São Pedro da Aldeia e Araruama.

Lula não se defende da associação de que efetivamente as propriedades são dele; apenas ri.

PAES: Mas tamo junto, o senhor tem minha solidariedade. Da próxima vez, vê se me para com essa vida de pobre, com essa alma de pobre, comprando esses barcos de merda, sitiozinho vagabundo. [risos de Lula] Essa tua alma de pobre... Se fosse aqui no Rio, esse sitio não era Petrópolis, não era Itaipava, era como se fosse Maricá, uma merda de lugar. Esse barquinho dele é em São Pedro da Aldeia e Araruama, não em Búzios e Angra. É um cafona mesmo; o senhor não perdeu sua alma de pobre.

Nesta quinta-feira (17), o prefeito Eduardo Paes fez um pedido de desculpas públicas à população do Rio de Janeiro, sobretudo das cidades depreciadas por ele:

"Eu faço uma série de brincadeiras de muito mau gosto, sendo ofensivo inclusive com cidades do meu estado. Queria pedir desculpas à população de Maricá, a população da minha cidade. Não é assim que eu penso, não é assim que eu ajo na minha ação do governo."

Dá para acreditar que não é assim que Paes pensa? Exatamente o que ele falou espontaneamente com Lula?

LEIA MAIS:

- 8 conversas interceptadas pela Lava Jato que deixam Frank Underwood no chinelo

- OAB-RJ repudia vazamento dos áudios entre Lula e Dilma

Também no HuffPost Brasil:

Famosos contra o PT e a corrupção