COMPORTAMENTO

4 coisas que ninguém fala sobre o sexo depois dos 35 anos

17/03/2016 19:24 -03 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02
A Pele Que Habito/Reprodução

Você pode pensar que o sexo permanece o mesmo até a menopausa, mas mudanças que começam em torno dos 30 anos podem ter um enorme impacto sobre o que acontece entre quatro paredes — para melhor e, bem, para não tão melhor.

O “ápice balzaquiano” não é garantido

Todo mundo já ouviu falar que as mulheres atingem seu ápice sexual em torno de seus 30 e poucos anos, prolongando-o até o começo dos 40, mas isso pode não ser verdade para todas.

Motivo: "Muitas mulheres podem ficar surpresas ao saber que sua testosterona, o hormônio do desejo, começa a diminuir no começo de seus 20 anos”, diz Leah S. Millheiser, diretora do Programa de Medicina Sexual Feminina, do centro de saúde Stanford Health Care, na Califórnia, EUA. “Mas todas as mulheres experimentam uma queda de até 50% em seus níveis de testosterona entre os 20 e 50 anos.”

Você já conhece o fator sobre o qual vamos falar, mas vale a pena o lembrete: as preocupações da vida aos 30 (trabalho, família, amigos e, quando exatamente, você planeja voltar a encaixar a atividade física?) também interferem nesse ideal de apogeu sexual. “As mulheres são sexualmente plásticas, ou seja, o desejo delas é mais impactado por fatores externos do que o dos homens”, diz Millheiser. Em outras palavras, quando a vida enlouquece, seu desejo sexual vai dormir.

Pode haver um culpado inesperado causando sua secura

Não tem a ver apenas com sua testosterona naturalmente em declínio — também tem a ver com sua escolha de método contraceptivo.

Motivo: É mais provável que você utilize algum tipo de controle de natalidade entre os 20 e 40 anos, de acordo com o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês) dos EUA. Segundo um relatório da agência, 75,3% das mulheres entre 40 e 44 anos estavam usando métodos contraceptivos (entre 2006 e 2010) em comparação com 69,7% daquelas entre 30 e 34 anos e 58,3% das mulheres entre 20 e 24 anos.

Se o método escolhido for a pílula (28% de todas as mulheres que usam contraceptivo optam por esse método, segundo o CDC), sua testosterona está levando outro baque. “As pílulas anticoncepcionais impedem a ovulação, o que reduz a testosterona, e também aumentam uma proteína que limita a testosterona, o que significa que há uma menor quantidade desse hormônio fluindo livremente na corrente sanguínea”, diz Alyssa Dweck, professora clínica assistente do departamento de obstetrícia, ginecologia e ciência reprodutiva da Escola de Medicina do Mount Sinai, em Nova York.

“Por isso, você se sentirá mais seca durante o sexo, o que pode torná-lo não tão confortável.” No entanto, há uma solução simples: acrescente lubrificante na mistura. Você também pode conversar com seu ginecologista para trocar a pílula por um DIU, que não tem os mesmos efeitos sobre os níveis de testosterona.

O número mágico é menor do que você pensa

Você pode parar de se pressionar para conseguir dois ou três encontros noturnos semanais.

Motivo: Casais relataram picos de felicidade tendo relações sexuais uma vez por semana, segundo um estudo recente publicado pela revista Social Psychological and Personality Science.

Os pesquisadores analisaram dados de mais de 30 mil pessoas e descobriram que, embora ter relações sexuais abaixo daquela frequência esteja relacionado a um menor bem-estar, o pico de felicidade foi atingido com uma relação sexual por semana — ou seja, sexo duas vezes por semana não tornou as pessoas duplamente felizes.

Por isso, toda vez que ouvir que o sexo se torna menos frequente à medida que você envelhece, e que isso pode afetar seu relacionamento (e, portanto, os encontros noturnos), lembre-se de que uma vez por semana pode ser tudo o que você precisa.

Aquilo que você está buscando não será tão difícil de achar

Os orgasmos se tornam mais fáceis de atingir à medida que envelhecemos, segundo resultados da Pesquisa Nacional de Saúde Sexual e Comportamento, divulgada nos EUA, em 2010.

Motivo: Porque, a essa altura, você terá aprendido como atingi-lo. “Os homens têm orgasmos quando ejaculam — é um processo mais mecânico —, mas, quando as mulheres atingem o orgasmo, seus cérebros precisam estar envolvidos”, diz Dweck.

“Por isso, muitas mulheres na casa dos 20 ainda estão focadas na relação sexual como essencial para o orgasmo; pode demorar até seus 30 e poucos anos para que você perceba qual combinação de toque e processo de pensamento a conduzirá para onde quer ir.”

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.

12 filmes não-pornôs com cenas de sexo

LEIA MAIS:

- Como a masturbação pode melhorar sua vida sexual

- 11 mulheres famosas que defendem o seu direito a ter um orgasmo

- 5 mitos sobre a sexualidade feminina para derrubar já