MULHERES
16/03/2016 15:24 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:52 -02

Suspeitos de organização racista na internet são presos depois de queixa de Taís Araújo

Reprodução/Facebook

Na manhã desta quarta (16), Tiago Zanfolim Santos, de 26 anos, foi levado à prisão temporária em Brumado (BA) como um dos suspeitos de ter feito ataques racistas contra Taís Araújo em novembro de 2015. O rapaz trabalha em uma empresa de informática e foi detido em casa. Junto com ele foi apreendido um notebook, um computador desktop e um celular.

De acordo com o delegado Leonardo Rabelo, Santos é suspeito de integrar uma organização criminosa que age na internet. Este grupo seria responsável por ataques racistas não só contra Taís Araújo, mas também contra Sheron Menezes, Cris Vianna e a jornalista Maria Júlia Coutinho, a Maju do Jornal Nacional.

Depois da prisão de Tiago, outros dois suspeitos também foram encontrados e levados para prisão preventiva em Jandira (SP) e São José dos Pinhais (PR). Em Porto Alegre, um suspeito que foi levado a depor na delegacia acabou sendo preso por posse de material pornográfico ilegal e teve seu computador apreendido. E em Navegantes (SC), um dos líderes da organização foi preso por injúria racial e pedofilia.

A ação faz parte da operação da Delegacia de Repressão a Crimes de Internet (DRCI) do Rio de Janeiro em função da queixa de Tais Araujo sobre os ataques racistas que sofreu em novembro de 2015 em sua foto de Facebook.

A investigação é realizada com apoio da Secretaria Nacional de Segurança Pública (SENASP) e das Polícias Civis de Minas, São Paulo, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná e Bahia. A Polícia Civil do Rio visa a cumprir quatro mandados de prisão e 11 de busca e apreensão nesses seis estados.

Ataque

Em novembro de 2015, a atriz Taís Araújo postou uma foto em seu perfil do Facebook e sofreu diversos ataques racistas nos comentários. Alguns homens debocharam de sua cor da pele, fizeram piada com seu cabelo crespo, a chamaram de macaca entre outros absurdos.

Na época a atriz se pronunciou publicamente sobre as agressões e recebeu muito apoio nas redes sociais.

É muito chato, em 2015, ainda ter que falar sobre isso, mas não podemos nos calar: na última noite, recebi uma série de...

Publicado por Taís Araújo em Domingo, 1 de novembro de 2015

LEIA MAIS:

- Por que as ofensas a Jorge Ben escancaram o racismo à brasileira

- 12 depoimentos que mostram que vale a pena discutir música e racismo no Brasil

- Destaque da Vai-Vai fala sobre racismo: 'Ricos veem negros como empregados'