NOTÍCIAS
05/03/2016 11:13 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:38 -02

UE precisa aumentar auxílio financeiro à Turquia para refugiados, diz comissário alemão

BULENT KILIC via Getty Images
A woman holds child in a van after being detained by Turkish soldiers with other Syrians trying to reach the Greek island of Lesbos from Dikili, western Turkey, on March 5, 2016. The number of migrants crossing the Aegean Sea from Turkey to EU territory remains 'far too high', EU President Donald Tusk said after talks with Prime Minister Ahmet Davutoglu in Ankara on March 3. 'We agree the refugee flows still remain far too high and that further action is needed,' Tusk said, while praising Turkey for its growing cooperation including stepped-up coastguard patrols and a tightening of its visa regime. / AFP / BULENT KILIC (Photo credit should read BULENT KILIC/AFP/Getty Images)

A União Europeia pode precisar mais do que dobrar o auxílio financeiro já comprometido à Turquia para ajudar a manter milhões de refugiados sírios em seu território, disse o comissário alemão da UE, Guenther Oettinger, de acordo com uma revista, neste sábado (5).

A Comissão Europeia anunciou, na sexta-feira (4), o primeiro pagamento de 3 bilhões de euros (3,3 bilhões de dólares) para ajudar a Turquia a pagar pelo auxílio de cerca de 2,5 milhões de refugiados.

"A Europa deve considerar a possibilidade de mais auxílio financeiro para a Turquia além de 2017", disse Oettinger à revista alemã Der Spiegel.

"Assumir a totalidade dos custos dos serviços que a Turquia está tendo ao acomodar e cuidar dos refugiados, a conta pode facilmente chegar a seis ou sete bilhões de euros por ano", disse Oettinger, um alto membro da União Democrática Cristã, mesmo partido da chanceler Angela Merkel.

O chanceler austríaco, Werner Faymann, propôs um novo fundo da UE para financiar os custos adicionais. "Na crise de imigração, precisamos de soluções europeias conjuntas", disse ele à revista.

LEIA MAIS:

- Alemanha inaugura segundo centro para refugiados LGBT

- FOTOS: Refugiados e policiais entram em conflito na França

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: