NOTÍCIAS
05/03/2016 14:05 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:38 -02

Juiz Sérgio Moro diz, em nota, que condução coercitiva de Lula não foi 'antecipação de culpa'

Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil

O juiz Sergio Moro, que coordenada as ações da Operação Lava Jato, emitiu uma nota neste sábado (5) em que justifica seu pedido de condução coercitiva para que o ex-presidente Lula prestasse depoimento nesta sexta (4), na sede da Polícia Federal do aeroporto de Congonhas, em São Paulo.

Moro explica que "as medidas investigatórias visam apenas o esclarecimento da verdade e não significam antecipação de culpa do ex-presidente".

O juiz afirmou, ainda, que foram tomados cuidados para preservar a imagem de Lula. "Lamenta-se que as diligências tenham levado a pontuais confrontos em manifestação políticas inflamadas, com agressões a inocentes, exatamente o que se pretendia evitar", escreveu.

Leia, na íntegra, a nota do juiz Sergio Moro:

Nota oficial da 13ª Vara Federal de Curitiba

A pedido do Ministério Público Federal, este juiz autorizou a realização de buscas e apreensões e condução coercitiva do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para prestar depoimento.

Como consignado na decisão, essas medidas investigatórias visam apenas o esclarecimento da verdade e não significam antecipação de culpa do ex-presidente.

Cuidados foram tomados para preservar, durante a diligência, a imagem do ex-presidente.

Lamenta-se que as diligências tenham levado a pontuais confrontos em manifestação políticas inflamadas, com agressões a inocentes, exatamente o que se pretendia evitar.

Repudia este julgador, sem prejuízo da liberdade de expressão e de manifestação política, atos de violência de qualquer natureza, origem e direcionamento, bem como a incitação à prática de violência, ofensas ou ameaças a quem quer que seja, a investigados, a partidos políticos, a instituições constituídas ou a qualquer pessoa.

A democracia em uma sociedade livre reclama tolerância em relação a opiniões divergentes, respeito à lei e às instituições constituídas e compreensão em relação ao outro.

Curitiba, 05 de março de 2016.

Sergio Fernando Moro

Juiz Federal

A resposta do juiz é em decorrência da ação da Polícia Federal, que deflagrou na manhã desta sexta-feira (4) a 24ª fase da Operação Lava Jato, nomeada Operação Aletheia (‘verdade’ em grego).

O alvo principal da nova etapa é o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), tendo como base as investigações sobre a compra e reforma de um sítio em Atibaia (SP) frequentado pelo petista, o fato de sua mudança ter sido transportada para o local, e a relação desses episódios com empreiteiras investigadas, além da relação dele com um tríplex no Guarujá reformado pela OAS.

De acordo com a PF, cerca de 200 policiais e 30 auditores da Receita Federal cumprem 33 mandados de busca e apreensão e 11 de condução coercitiva, incluindo dois em São Bernardo de Campo (SP), local onde mora Lula.

Entre os mandatos de condução coercitiva estavam um contra o ex-presidente e outro contra o presidente do Instituto Lula, Paulo Okamoto.

(Com informações da Estadão Conteúdo)

LEIA MAIS:

- Lula é o alvo da Polícia Federal na 24ª fase da Operação Lava Jato

- Mídia americana diz que Lava Jato chega ao momento mais 'dramático'

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: