NOTÍCIAS
25/02/2016 09:17 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:32 -02

Polícia Federal realiza buscas na Gerdau na 6ª fase da Operação Zelotes

Montagem/Reprodução Facebook

A Polícia Federal realiza nesta quinta-feira (25) a 6ª fase da Operação Zelotes com mandados de busca e apreensão em sedes do grupo siderúrgico Gerdau por suspeita de ter tentado sonegar até R$ 1,5 bilhão.

Em comunicado, a PF informou que nesta fase da Zelotes, além de 18 mandados de busca, também estão sendo cumpridos "22 mandados de condução coercitivas em Brasília, Porto Alegre, São Paulo, Rio de Janeiro e Recife e duas oitivas autorizadas judicialmente, realizadas no Complexo da Papuda, em Brasília". A Zelotes investiga fraudes relacionadas ao Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf).

O comunicado da PF afirma que a operação tem como alvo uma empresa siderúrgica nacional, mas não menciona que se trata da Gerdau, informação dada à Reuters mais cedo por uma fonte que pediu para não ser identificada, e confirmada posteriormente pela própria empresa.

PF REALIZA SEXTA FASE DA OPERAÇÃO ZELOTESA Polícia Federal realiza, nesta manhã (25), a sexta fase da Operação Zelotes...

Publicado por Departamento de Polícia Federal - MJ em Quinta, 25 de fevereiro de 2016


De acordo com o jornal O Estado de S. Paulo, a PF informou que a firma, que possui operações industriais em 14 países, celebrou contratos com escritórios de advocacia e de consultoria, os quais por meio de seus sócios, agiram de maneira ilícita manipulando o andamento do processo. Segundo as investigações, o grupo de lobistas continuou atuando mesmo após a deflagração da operação em março do ano passado.

Um dos mandados de condução coercitiva é para o presidente-executivo da empresa, André Gerdau Johannpeter, segundo a TV Globo.

A Gerdau, por sua vez, afirmou em comunicado que está colaborando com as investigações e negou envolvimento em qualquer negociação ilegal. "Com base em seus preceitos éticos, a Gerdau não concedeu qualquer autorização para que seu nome fosse utilizado em pretensas negociações ilegais, repelindo veementemente qualquer atitude que tenha ocorrido com esse fim", disse a empresa.

O que a Zelotes investiga

A Zelotes foi deflagrada em março de 2015 para desarticular esquema de compra de decisões no Carf por grandes empresas. No curso das investigações, a força-tarefa do Ministério Público Federal, Receita Federal e Polícia Federal descobriu que os mesmos operadores também atuaram em suposto esquema de compra de medidas provisórias editadas nos governos dos presidente Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, o que ampliou as investigações e levou a prisão dos lobistas em outubro do ano passado.

Por causa das prisões, a investigação sobre a suposta compra de MPs avançou mais rapidamente e o MPF já apresentou denúncia. O caso esta em fase de oitiva de testemunhas na Justiça Federal do DF.

Há ainda outros dois desdobramentos da Zelotes em curso. Um deles, apura pagamento à LFT Marketing Esportivo, empresa de Luís Claudio Lula da Silva, filho mais novo do ex-presidente Lula, pela Marcondes e Mautoni, por uma das consultorias acusadas de envolvimento na compra de decisões no Carf e de normas. Ele recebeu R$ 2,5 milhões da empresa, segundo a PF, para copiar e colar informações da internet. Luís Claudio diz que fez consultoria de marketing esportivo. Outra investigação é sobre suposto lobby da Marcondes para a compra de caças pelo governo Dilma.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS:


LEIA TAMBÉM

- Dilma diz a juiz não ter o que declarar sobre 'compra' de MPs

- Lula presta depoimento sobre suposta 'venda de medida provisória' em seu governo

- Zelotes: MPF denuncia 16 e pede multa de R$ 879,5 milhões

- Zelotes: Dois ex-ministros do governo Lula são citados na CPI do Carf