NOTÍCIAS
24/02/2016 10:43 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:32 -02

Marqueteiro do PT João Santana vai admitir que recebeu dinheiro de 'caixa 2' no exterior, mas não do PT, diz jornal

Montagem/Ichiro Guerra/ Dilma 13 e Reprodução

O jornalista e publicitário João Santana deverá admitir, em depoimento que prestará à Polícia Federal nesta quarta-feira (24), que recebeu recursos irregulares em contas bancarias no exterior. A informação é do jornal Folha de S. Paulo. O marqueteiro atuou nas campanhas do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (2006) e da presidente Dilma Rousseff (2010 e 2014).

A admissão de Santana, porém, virá acompanhada de uma outra informação: a de que os recursos financeiros, embora provenientes de 'caixa 2' e não declarados às autoridades brasileiras, não teriam vindo do PT. Segundo o jornal, a defesa do marqueteiro sustentará que os pagamentos seriam referentes a serviços prestados por ele em campanhas eleitorais no exterior.

Em contato com o HuffPost Brasil, a assessoria de Santana informou que não comentaria a reportagem da Folha, preferindo “não confirmar, nem desconfirmar” a suposta linha de defesa. O advogado do marqueteiro, Fábio Tofic, também só deve se pronunciar nos autos do processo que corre na Justiça Federal, em Curitiba (PR).

A estratégia, sustenta a reportagem da Folha, teria como meta amenizar as suspeitas que pesam contra ele e sua mulher, Mônica Mouratambém detida pela operação –, de que o marqueteiro teria recebido US$ 7,5 milhões ilegalmente no exterior. As investigações querem saber se os recursos seriam fruto de desvios da Petrobras.

Segundo reportagem do jornal O Estado de S. Paulo, Santana recebeu três depósitos que totalizaram US$ 1,5 milhão em 2014, período em que ele cuidava da campanha da presidente Dilma Rousseff. Os pagamentos foram feitos por uma offshore, a Deep Sea Oil Corp, de Zwi Skornicki – outro preso pela PF na Operação Acarajé, nome dado à 23ª fase da Lava Jato.

Em 2014, Santana se dedicou prioritariamente a atender Dilma. Naquele ano, a campanha começou oficialmente em julho e terminou em novembro, com a reeleição dela. Desde 2002 até dois anos atrás, a empresa de Santana e de sua mulher, recebeu R$ 229 milhões do PT, segundo a Folha.

Caberá à defesa de Santana comprovar a origem dos pagamentos. Se não o fizer, poderá ser acusado de lavagem de dinheiro, um crime com maior grau punitivo do que o de evasão de divisas, que pode ser configurado com a falta de declaração de recursos no exterior à Receita Federal. O órgão, aliás, já teria encontrado ‘divergências’ nas movimentações do marqueteiro – o patrimônio do marqueteiro saltou de R$ 1,9 milhão, em 2004, para R$ 66,7 milhões em 2014.

‘Estapafúrdia’, diz ministro sobre ligação de Santana com Dilma

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, classificou nesta terça-feira (23) como "uma coisa estapafúrdia" a tentativa do PSDB e de setores dissidentes do PMDB de vincular os pagamentos sob investigação para o marqueteiro João Santana com a campanha de 2014 da presidente Dilma Rousseff.

"A campanha de Dilma pagou R$ 70 milhões para João Santana. É a maior contratação que temos. Por que quem paga R$ 70 milhões tem que pagar por fora alguma coisa como US$ 7,5 milhões? Não tem o menor sentido. É um verdadeiro nonsense, uma coisa estapafúrdia", disse Cardozo.

"Quem declarou R$ 70 milhões pode declarar R$ 80 milhões, R$ 85 milhões. Por que então (o marqueteiro) teria de receber no caixa 2?", questionou. A Lava Jato, porém, não investiga apenas a suspeita de caixa 2. Ela apura se Santana recebeu no exterior recursos ilícitos desviados da Petrobras.

"Todo mundo sabe que o que está em discussão no TSE são as finanças da campanha da presidente Dilma. Se o partido A, B, C ou D recebeu alguma coisa, isso não se comunica com as campanhas. Seria a mesma coisa que eu tivesse de cassar o mandato de todos os eleitos de um partido por uma situação de um desvio qualquer, que, no caso, não está nem provado", afirmou Cardozo.

Questionado se estaria acusando o próprio PT, o ministro reagiu e disse que "de forma nenhuma".

(Com Estadão Conteúdo)

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS:


LEIA TAMBÉM

- Após prisão de João Santana, oposição vai ao STF pedir agilidade no impeachment

- Efeito de prisão de marqueteiro pode ser devastador para Dilma, teme Palácio do Planalto

- Lava Jato: STF arquiva investigação contra o senador tucano Aécio Neves

- STF manda soltar 1º senador preso da República, Delcídio do Amaral (PT-MS)