NOTÍCIAS

'Olha o Lula... olha a Polícia Federal...', cantam quadrilha para deputado do PT (VÍDEO)

10/02/2016 05:33 -02 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02

Denunciado em dezembro pela Procuradoria-Geral da República por corrupção passiva (onze vezes) e lavagem de dinheiro (99 vezes), o deputado Vander Loubet (PT-MS), alvo da Operação Lava Jato, viveu uma cena de constrangimento neste Carnaval em Campo Grande, onde reside. Sentado à mesa de uma cafeteria ele se viu repentinamente cercado por manifestantes que dançaram a quadrilha para ele.

"Olha o Lula"’, cantavam ao redor do parlamentar. "Olha a Polícia Federal…". Loubet permaneceu imóvel em sua cadeira, de braços cruzados, enquanto o grupo se divertia, dançando à sua volta. As imagens de Loubet alvo da quadrilha foram divulgadas nesta terça-feira de carnaval (9), pelo site O Antagonista. ‘"Pula a fogueira iá iá, pula a fogueira iô iô… cuidado para não se queimar"’, iam e vinham.

O petista é acusado pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, de recebimento de propinas que somaram R$ 1,028 milhão em esquema de corrupção instalado na BR Distribuidora.

Ao denunciar Loubet criminalmente perante a Corte máxima, Janot atribuiu ao parlamentar ligação com "grupo criminoso" que repassava a ele valos ilícitos "em função da ascendência que o Partido dos Trabalhadores exercia sobre parte da Petrobras Distribuidora S/A".

"O parlamentar, em conjunto com seus auxiliares, acabou aderindo à organização criminosa preordenada à prática de crimes de peculato, de corrupção ativa e passiva e de lavagem de dinheiro no âmbito da BR Distribuidora", afirma o procurador-geral da República, que pediu ao Supremo decretação da perda do mandato de Loubet. O deputado não foi localizado para comentar a dança da quadrilha.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS:


LEIA TAMBÉM

- Presidente do PT quer que militância combata 'linchamento moral' de Lula

- ESTUDO: Dados mostram que, para brasileiros, 'corruptos são os outros'

- Lava Jato: Aécio Neves 'ficava com um terço em Furnas', diz delator sobre propinas