ENTRETENIMENTO

6 provas de que Fatmagül é a novela mais feminista já feita

10/02/2016 11:54 -02 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02
Reprodução

Uma jovem humilde é estuprada pelos jovens ricos da região às vésperas de seu casamento. Mas, em vez de ver os criminosos presos, é a vítima quem sofre uma série de punições: o noivo termina com ela, sua casa é queimada e ela ainda é obrigada a casar com um dos seus possíveis violentadores. Só que a jovem não aceita ser vista só como vítima e decide reerguer a vida e buscar justiça.

Esse é o enredo da novela Fatmagul, que estreou na Band em agosto de 2015 com um grande desafio: substituir a surpresa do ano "Mil e uma noites", que dobrou a audiência da Band no horário e continuou sendo, em geral, uma das atrações mais vistas da emissora durante sua exibição. A nova novela não decepcionou. Não só segurou a audiência da antecessora como já superou a média da anterior em alguns capítulos. A boa recepção no Brasil é só mais uma na lista de Fatmagul, que é a novela turca de maior sucesso em todos os países árabes, Oriente Médio e Turquia.


novela feminista

Mas, além da boa recepção do público, chama atenção o quanto a história é feminista e inovadora - algo parecido nunca foi feito no Brasil, por exemplo. Listamos algumas informações de empoderamento da novela que você vai gostar de saber:

1. O nome original

Diferentemente do título que recebeu no Brasil Fatmagul, A Força do Amor, o nome original da novela nada tem a ver com romance. Batizada em turco de Que culpa tem Fatmagul? já dá um indicação do que a trama discute. Por que é a moça violentada tem que sofrer qualquer tipo de retaliação e preconceito da sociedade?

2. A personagem principal busca independência como forma de felicidade

A novela acompanha uma mulher se reerguendo e correndo atrás de uma vida mais justa. Mais para frente, a trama também põe em foco na luta de Fatmagul para que os responsáveis pelo crime sexual que ela sofreu sejam punidos. Ao contrário da maioria das novelas, o objetivo da mocinha não é viver um grande amor e sim reconstruir sua vida.

3. Até as mulheres em lados opostos se unem por uma causa maior

É muito bonito e interessante acompanhar a transformação de várias personagens durante o desenrolar do enredo. Alguma das mulheres que tiveram posicionamentos machistas no começo da trama -- e defendem cegamento os filhos estupradores -- aos poucos vão despertando a consciência e reconhecendo a importância de ficar ao lado Fatmagul -- e de toda e qualquer mulher violentada.

4. Foi baseada em um livro de um famoso ativista dos direitos das mulheres

Sua história é inspirada no livro homônimo do autor Vedat Türkali, publicado nos anos 70 e que foi escrito para denunciar o machismo da sociedade turca. Por lei, um estuprador que se casasse com sua vítima ficava impune desse delito. Türkali então contou a história de Fatmagül para expor os horrores dessa lógica absurda. A partir do debate gerado pelo livro a lei começou a ser repensada. Em 1986, a história virou filme e só em 2010 foi adaptada para televisão. Curiosidade para quem já assiste à novela: Deniz Türkali, filha desse escritor turco é atriz e em Fatmagül interpreta Perihan Yasaran. E também é uma importante ativista feminista.

5. A história ajudou vários casos reais a serem reabertos

Além do livro, a adaptação de Fatmagul para televisão se inspirou em um caso real para dar ainda mais veracidade à história. Ao longo dos seus capítulos, outros casos também são citados. Com isso, a novela despertou uma conscientização nacional e deu visibilidade aos absurdos das leis turcas em relação a violência contra a mulher. Tanto que na época vários casos de estupro que estavam parados na justiça foram reabertos e, por causa do rebuliço causado pela novela, voltaram a julgamento. No último capítulo diversos desses casos reais são até citados pela protagonista da trama.

6. As feministas são personagens da trama

Na novela, o caso ganha uma maior proporção depois que uma jornalista decide abraçar a causa e fazer do estupro de Fatmagul o foco da notícia. E depois que a matéria é publicada, um grande grupo de mulheres se alia a causa da protagonista. Fazendo uma campanha de justiça e, inclusive, visitando o tribunal para ficar ao lado da moça nesse momento tão importante. A novela faz um campanha clara para que as vítimas de violência ou abuso sexual não se calem e não tenham vergonha de denunciar seus algozes. Mensagens do tipo "Não é não", "Estamos juntas" e "Meu corpo me pertence" aparecem em vários momentos.

*A novela exibida pela Band de segunda a sábado, no horário das 20h25.

LEIA MAIS

- Esta tirinha mostra perfeitamente como o feminismo pode ajudar a fazer um mundo melhor (FOTOS)

- A chave do feminismo

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: