ENTRETENIMENTO

Bloco Netflix: 7 filmes nada carnavalescos para quem odeia o Carnaval

08/02/2016 12:17 -02 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02

Góticos, sofredores em aglomerações, homens e mulheres sem ziriguidum nos pés ou que sambam com os dedinhos para cima: Vocês têm aqui um amigo do peito.

Não é que você precise desprezar o Carnaval (muito pelo contrário, aliás). Mas quem não se dá bem no festerê pode ser feliz também. Separamos sete opções da Netflix com personagens que não gostam nada de sair de casa ou têm dificuldade parecida.

Vamos lá?


melancolia


1. Melancolia (2011)

Direção: Lars Von Trier

Não brincamos quando falamos em não gostar do Carnaval. Dá para imaginar um filme menos folião que essa pedrada de Lars Von Trier? Duas irmãs antes, durante e depois de um casamento que passam por depressão para um final para lá de gigante e triste. Quem resolver assistir este pode ser considerado o campeão na escala de "odeio o Carnaval".



vida dos outros


2. A Vida dos Outros (2007)

Direção: Florian Henckel von Donnersmarck

Trama político e psicológico que se passa na Alemanha Oriental. Mas fique tranquilo porque o filme transborda facilidade narrativa e a coisa vai fazer você grudar no sofá (ou na cama) sem desgrudar os olhos da telinha. O dramaturgo Georg Dreyman e sua namorada, a atriz Christa-Maria Sieland, são vigiados 24 horas por dia pela burocracia socialista. É para quem gosta muito de Franz Kafka.



janela indiscreta


3. Janela Indiscreta (1954)

Direção: Alfred Hitchcock

Se você acha que sou paranoico pelas duas escolhas anteriores, aqui vai mais filme para sustentar suas suspeitas. É um Hitchcock puro, denso, bonito e provocador. Nasce da impossibilidade do fotógrafo nova-iorquino L.B. Jeffries, preso no apartamento por ter quebrado a perna, de sair de casa. É quase você aí olhando da janela a festa de toda passar aí na rua e você sentindo uma vontade incontrolável de ver tudo sem ser visto. É bem real e todos nós fazemos bastante isso, não é?



lunar


4. Lunar (2009)

Direção: Duncan Jones

Quando assisti ao Perdido em Marte semanas atrás, acabei lembrando de Lunar. Mas em tudo o fime dirigido pelo filho de David Bowie é melhor. Sam Rockwell encarna o personagem central de maneira fantástica, perturbadora, claustrofóbica e hipnotizante. Parecem muitos adjetivos? Assista depois me conte. A companhia do computador GERTY (Kevin Spacey) também excelente.



apartamento


5. Se Meu Apartamento Falasse (1960)

Direção: Bill Wilder

Ninguém precisa sofrer tanto, certo? Então esse é mais leve. Aquele funcionário que só pensa em crescer, dar certo e deixar os companheiros de trabalho para trás. O que ele descobre? Que seu apartamento é uma ótima forma de conseguir o que ele quer. Os chefes acabam usando o espaço para encontros e festinhas. Vai tudo caindo bem até que ele também se apaixona pela amante de um dos patrões. Acabou a escadinha, meu querido.



o abrigo


6. O Abrigo (2011)

Direção: Jeff Nichols

Os pesadelos apocalípticos de Curtis LaForche dão um novo rumo na cida simples e cotidiana no meio do nada. Ninguém liga para ele. Ninguém acredita que aquilo tudo pode ser real. Afinal, quem vai acreditar num cara que nunca soube se impor? Ainda mais se ele começar a parecer um tanto quanto obcecado e criar um abrigo (bunker) no quintal. Bom, desconfiança é um problemão, né?



segurando as pontas


7. Segurando as Pontas (2008)

Direção: David Gordon Green

O alívio cômico desta listinha sobre dificuldade de sair de casa. Seth Rogen e James Franco começaram a parceria nas comédias maluconas aqui. Dale Denton (Seth) acaba estreitando suas relações com o traficante Saul Silver (Franco) após conhecer uma erva muito-muito-muito forte, a pineapple express. E nisso rola um assassinato e tudo muda. E, veja só, eles até precisam sair da imobilidade.


SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: