NOTÍCIAS

OMS declara o zika vírus uma 'emergência de saúde global'

01/02/2016 17:12 -02 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02
Mario Tama via Getty Images
RECIFE, BRAZIL - JANUARY 31: Alice Vitoria Gomes Bezerra, 3-months-old, who has microcephaly, is held by her mother Nadja Cristina Gomes Bezerra sits on January 31, 2016 in Recife, Brazil. In the last four months, authorities have recorded close to 4,000 cases in Brazil in which the mosquito-borne Zika virus may have led to microcephaly in infants. The ailment results in an abnormally small head in newborns and is associated with various disorders including decreased brain development. According to the World Health Organization (WHO), the Zika virus outbreak is likely to spread throughout nearly all the Americas. (Photo by Mario Tama/Getty Images)

A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou nesta segunda-feira (1º) que o vírus Zika é uma emergência global, no momento em que a doença ligada a milhares de casos de microcefalia no Brasil se dissemina rapidamente.

A designação foi recomendada por um comitê de especialistas independentes da agência da Organização das Nações Unidas (ONU), após críticas sobre uma resposta hesitante até agora. A decisão deve ajudar a acelerar ações internacionais e de pesquisa.

O estado de emergência global só foi aplicado anteriormente em três outros episódios, sendo o mais recente o surto de Ebola na África Ocidental. Ele é declarado pela OMS em casos "extraordinários" que "constituem um risco para a saúde pública de outros estados através da propagação internacional de doenças" tal que exige "uma resposta internacional coordenada".

Com o anúncio, a OMS disse que vai aumentar a sua vigilância dos Zika em países que lutam o vírus, e em outros países ele pode se espalhar para o próximo.

De acordo com o último boletim do Ministério da Saúde, o Brasil tem 3.448 casos suspeitos de microcefalia relacionados ao zika vírus. No total, já foram notificadas 68 mortes por malformação congênita após o parto (natimorto) ou durante a gestação (abortamento espontâneo).

Na quinta-feira (28), a Organização Mundial de Saúde informou que o zika vírus pode infectar cerca de 4 milhões de pessoas nas Américas, incluindo 1,5 milhão só no Brasil.

*Com Reuters