MULHERES

Carnaval também é tempo de proteção às mulheres, como esta marchinha não te deixa esquecer (ÁUDIO)

01/02/2016 11:33 -02 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02

Dá para juntar a alegria do carnaval com uma mensagem de conscientização? Claro que sim. É sob essa dinâmica que o músico Tião Simpatia, integrante da Rede de Artistas da Campanha UNA-SE pelo fim da violência contra as mulheres, lançou uma marchinha que destaca o telefone 180, que recebe denúncias de violência doméstica no País.

“Violência doméstica ninguém mais aguenta. Não tolere, denuncie, ligue 180. É grátis qualquer um pode ligar. 24 horas no ar (…) Chega de maltrato e preconceito. Toda mulher tem direito. A viver sem violência”, diz o músico em um dos trechos da marchinha carnavalesca.

Para a representante da ONU Mulheres Brasil, Nadine Gasman, iniciativas como essa são importante para combater a cultura sexista e machista que impera não só durante o carnaval, permitindo que as desigualdades de gênero também sejam enfrentadas.

“A violência contra as mulheres se naturalizou, inclusive, por meio de obras artísticas e culturais. É importante que a desconstrução da violência seja feita em músicas, novelas e outras formas de expressão. Isso faz com as pessoas reflitam e comecem a perceber o quanto é fundamental eliminar a violência por meio de diferentes formas de expressão e linguagem, além de incentivar realidades inclusivas e respeitosas. O carnaval é alegria e nada melhor do que uma marchinha, com conteúdo crítico e de conscientização, para embalar o presente e o futuro sem violência contra as mulheres. Estes são passos decisivos em favor da igualdade de gênero”.

O Ligue 180 já opera há 10 anos no Brasil, com o registro de mais de 4 milhões de atendimentos. O serviço – oferecido pela Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres, do Ministério das Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos – é gratuito e confidencial, preservando o anonimato de quem faz a denúncia. Além disso, ele funciona 24 horas, todos os dias da semana, inclusive finais de semana e feriados.

Confira a letra da marchinha na íntegra:

Refrão:

Violência doméstica ninguém mais aguenta

Não tolere, denuncie, ligue 180. (Bis)

É grátis qualquer um pode ligar

24 horas no ar

Registrando ocorrência.

Chega de maltrato e preconceito

Toda mulher tem direito

A viver sem violência.

É a Central da Mulher

Do Governo Federal

Peça ajuda, denuncie

Dê um basta nesse mal.

A Central da Mulher

Do Governo Federal

Ligue 180

O sigilo é total.

Refrão:

Violência doméstica…

Meu amigo, não machuque

A beleza feminina

Uma flor dilacerada

Entristece e não germina.

A mulher quando agredida

Tem da flor a mesma sina

Maltratada murcha e seca

E bem regada nos fascina.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS:


LEIA TAMBÉM

- ESTUDO: Mais armas significam mais mulheres mortas nos EUA

- Arrastada pelo cabelo, esta universitária denuncia os traumas de um relacionamento abusivo

- Este homem bateu na mulher no meio da rua, e a PM disse que não podia fazer NADA

- ASSISTA: Senadora quer combate à violência contra a mulher na grade escolar do País

- PESQUISA: Uma em cada 5 mulheres já foi espancada no Brasil