NOTÍCIAS

Depois da confusão do Oscar, Sindicato dos Atores premia negros

31/01/2016 18:29 -02 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02
John Sciulli via Getty Images
LOS ANGELES, CA - JANUARY 09: Actor Idris Elba attends the W Magazine celebration of The 'Best Performances' Portfolio and The Golden Globes with Cadillac and Dom Perignon at Chateau Marmont on January 9, 2014 in Los Angeles, California. (Photo by John Sciulli/Getty Images for W Magazine)

O Sindicato dos Atores dos Estados Unidos (SAG) premiou neste sábado Spotlight - Segredos Revelados como melhor filme do ano, na 22ª edição do prêmio, realizada no Shrine Exposition Center, de Los Angeles. Leonardo DiCaprio, que buscará seu primeiro Oscar no próximo mês, foi premiado como melhor ator por O Regresso. A festa também foi marcada pelo reconhecimento a atores negros em plena confusão sobre a falta de diversidade racial nas indicações ao Oscar. No palco, ninguém tocou no assunto.

Spotlight - Segredos Revelados, o filme sobre uma investigação jornalística que revelou abusos sexuais a menores na Igreja Católica de Boston venceu o principal prêmio da noite de forma surpreendente. Nas principais premiações individuais, Leonardo DiCaprio e Brie Larsson, de O Quarto de Jack, confirmaram a condição de favoritos ao Oscar e venceram os prêmios de melhor ator e melhor atriz.

Antes de subir ao palco e receber seu primeiro SAG, DiCaprio abraçou Kate Winslet, sua eterna companheira de Titanic, em cena que fez sucesso nas redes sociais. "Estou verdadeiramente honrado por isso, porque a escolha vem de vocês, meus colegas atores. Obrigado do fundo do meu coração", discursou o ator de 41 anos.

Nas categorias de televisão, Downton Abbey venceu como melhor série de drama e Orange is the New Black como melhor série de comédia. Kevin Spacey foi eleito o melhor ator em série de drama por seu papel de Frank Underwood em House of Cards.

Negros - A premiação do SAG contrastou com as indicações ao Oscar, que não tiveram nenhum ator ou atriz negros lembrados em nenhuma categoria de indicação. Na premiação deste sábado, foram premiados Idris Elba (vencedor de dois prêmios: melhor ator coadjuvante por Beats of No Nation e melhor ator em minissérie por Luther), Queen Latifah (melhor atriz em minissérie por Bessie), Viola Davis (melhor atriz em série de drama por How to Get Away with Murder, Uzo Aduba (melhor atriz em série de comédia por Orange is the New Black). Nenhum deles tocou na questão racial em seus discursos.

A ausência de negros no Oscar causou grande controvérsia. Nos últimos dias, diversos artistas negros anunciaram um boicote ao Oscar, com destaque para o cineasta Spike Lee, a atriz Jada Pinkett Smith e seu marido, o ator Will Smith. Em quase 90 anos de história, apenas 30 estatuetas foram entregues para artistas negros. Até mesmo o presidente Barack Obama entrou na discussão e disse que a diversidade "torna a arte melhor" e que a discussão sobre o Oscar reflete um debate ainda mais amplo.

Por outro lado, outras personalidades criticaram o protesto, como a atriz Charlotte Rampling, que diz que a manifestação é uma forma de "racismo contra os brancos". A cerimônia do Oscar acontece em 28 de fevereiro, em Los Angeles, e será apresentada pelo comediante negro Chris Rock.

LEIA TAMBÉM:

- #OscarStillSoWhite: Academia prova, de novo, que o Oscar é uma premiação apenas para pessoas brancas

- #OscarStillSoWhite: Oscar pode incluir novos indicados a melhor filme, atores e atrizes, aponta NYT

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: