NOTÍCIAS

Não convivo com indicação política na empresa, diz presidente da Petrobras

28/01/2016 15:47 -02 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02
Tânia Rêgo/ Agência Brasil

As mudanças na estrutura de administração e na governança da Petrobras são uma "resposta" à crise desencadeada pela Operação Lava Jato na companhia, afirmou o presidente da estatal, Aldemir Bendine.

Segundo ele, o novo modelo de contratação, que prevê avaliação de conformidade e integridade dos executivos, servirá para privilegiar a competência em detrimento a indicações políticas para o comando da empresa.

"Não convivi e não convivo com indicação política na empresa", afirmou o executivo durante a coletiva de imprensa na sede da empresa, no Rio.

De acordo com Bendine, as indicações agora passam por avaliação do conselho de administração, que aprovará ou não os nomes de diretores e gerentes executivos a partir de avaliação de integridade e de competência técnica.

"Meritocracia é a palavra que define, desde 2015, os nossos processos e que prevalecerá em toda a companhia", completou.

LEIA TAMBÉM:

- Lava Jato: PF está cada vez mais perto de Lula, diz oposição

- ESTUDO: Escândalo da Petrobras derruba o Brasil no ranking da corrupção

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: