NOTÍCIAS
27/01/2016 08:48 -02 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02

Polícia Federal deflagra 22ª fase da Operação Lava Jato com ações na Grande SP e em prédio supostamente ligado a Lula

Montagem/Reprodução Facebook

Denominada ‘Triplo X’, a 22ª fase da Operação Lava Jato foi deflagrada na manhã desta quarta-feira (27) pela Polícia Federal. Cerca de 80 policiais federais cumprem 15 mandados de busca e apreensão, seis mandados de prisão temporária e dois mandados de condução coercitiva nas cidades de São Paulo, Santo André, São Bernardo do Campo e Joaçaba (SC).

A PF informou que a nova fase da operação investiga “a existência de estrutura destinada a proporcionar a investigados na operação policial a abertura de empresas offshores e contas no exterior para ocultar ou dissimular o produto dos crimes de corrupção, notadamente recursos oriundos de delitos praticados no âmbito da Petrobras”.

A PF informou ainda que a investigação apura a ocultação de patrimônio por meio de um empreendimento imobiliário, “havendo fundadas suspeitas de que uma das empreiteiras investigadas na Operação Lava Jato teria se utilizado do negócio para repasse disfarçado de propina a agentes envolvidos no esquema criminoso da Petrobras”.

De acordo com informações do jornal Folha de S. Paulo, o imóvel investigado pertence à offshore Murray, sediada no Panamá. É dela um tríplex cujo projeto era da Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo (Bancoop) no Guarujá (SP), o mesmo condomínio em que a construtora OAS – alvo da Lava Jato – teria reservado um tríplex para a família do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Nesta fase são apurados os crimes de corrupção, fraude, evasão de divisas e lavagem de dinheiro. Os presos nesta operação serão trazidos para a Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, base da Lava Jato.

(Com Estadão Conteúdo)

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS:


LEIA TAMBÉM

- Lula aciona Justiça contra João Doria, pré-candidato à prefeitura de São Paulo

- PSDB vai à Procuradoria para pedir o fim do PT após denúncias de Cerveró

- Fã de Bolsonaro, lutador de MMA pode ser processado por Lula

- Propina de R$ 50 milhões abasteceu campanha de Lula em 2006, diz Cerveró