NOTÍCIAS

Ex-diretora da Anac, Denise Abreu sairá candidata à Prefeitura de São Paulo pelo Partido da Mulher Brasileira

27/01/2016 17:11 -02 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02
Montagem/Reprodução Facebook

A ex-diretora da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Denise Abreu, sairá candidata à Prefeitura de São Paulo em 2016. A informação foi repassada na tarde desta quarta-feira (27) pela assessoria do Partido da Mulher Brasileira (PMB), legenda que fechou nesta semana a filiação da pré-candidata.

“Denise Abreu acabou de se filiar ao Partido da Mulher Brasileira e irá concorrer a Prefeitura de São Paulo. Denise foi pré-candidata à Presidência da República pelo Partido Ecológico Nacional (PEN) em 2014 e agora se junta a equipe do PMB, sendo a terceira mulher a migrar para o partido”, diz o comunicado.

Na verdade, Denise Abreu foi candidata a uma cadeira na Câmara dos Deputados no ano passado (a candidatura à Presidência foi um desejo não concretizado), mas não conseguiu se eleger. Naquela oportunidade, a ex-procuradora do Estado de São Paulo lançou mão de bandeiras que a aproximam das posições do deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ), outro a se declarar abertamente ‘anticomunista’ e 'antipetista'.

Apesar da direção do PMB se declarar como sendo de centro-esquerda, a linha da ex-diretora da tem mais identificação com a direita e com a extrema direita. Recentemente, ela participou de um bate-papo com outro pré-candidato à Prefeitura de SP, o deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP), e o escritor Olavo de Carvalho.

Ao que tudo indica, a pré-candidatura já possui até um jingle, divulgado pela própria Denise antes das eleições de 2014.

Para quem não se recorda, Denise deixou a Anac após o acidente com o Airbus da TAM, em Congonhas, em 2007, em meio à crise no setor aéreo. Meses depois, em 2008, foi fotografada fumando um charuto, em uma festa de casamento na Bahia, enquanto passageiros sofriam com cancelamentos pelo País, conforme noticiou a revista Época na ocasião.

A composição da candidatura ainda não está definida, mas a presidente nacional do PMB, Suêd Haidar, garante que a ideia do partido, formado há poucos meses e já com mais de 20 parlamentares no Congresso Nacional, é ter candidaturas próprias nas principais capitais brasileiras nas próximas eleições.

“Onde tivermos pernas para alcançar a população nós vamos nos apresentar, concorrer pra valer. Até mesmo em cidades em que não tenhamos tempo de TV, a ideia é ter o máximo de candidaturas próprias. Faremos alianças apenas onde não houver condições. Em São Paulo, nós queremos alavancar o nosso projeto político”, disse ela ao HuffPost Brasil.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS:


LEIA TAMBÉM

- 'De direita', Partido da Mulher Brasileira é oficializado pelo TSE

- 'O que seria de nós sem uma mulher para nos dar alegria e prazer?', diz senador do Partido da Mulher

- Câmara terá PT com menos deputados e ascensão do novato PMB em 2016