NOTÍCIAS

Lenda do UFC, Royce Gracie declara apoio à família Bolsonaro e pede fim do Estatuto do Desarmamento (VÍDEO)

25/01/2016 10:42 -02 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02

ROYCE GRACIE FALA SOBRE O ESTATUTO DO DESARMAMENTO NO BRASIL Durante a feira de armas Shot Show de Las Vegas-EUA a lenda do jiu-jitsu Royce Gracie, residente nos EUA há quase 30 anos, passa a sua percepção sobre o desarmamento. Confira!

Publicado por Eduardo Bolsonaro em Domingo, 24 de janeiro de 2016

Campeão de três dos quatro primeiros UFCs da história, nos anos 90, o lutador brasileiro Royce Gracie declarou apoio ao fim do Estatuto do Desarmamento no Brasil. A declaração foi dada por ele no último fim de semana, em conversa com o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSC-SP), filho de Jair Bolsonaro (PP-RJ).

Dizendo-se “muito fã” da família Bolsonaro, Royce destacou que uma lei como a brasileira só impede a população possa se defender dos criminosos.

“Desarmamento vai desarmar o povo, mas o bandido continua tendo arma. No Brasil você não pode comprar arma, mas todos os bandidos têm arma. As únicas pessoas que não têm arma é o povo para se defender. Você está tirando o direito do povo de se defender”.

Enquanto o Congresso Nacional não retoma os seus trabalhos, Eduardo Bolsonaro buscou nos Estados Unidos, na feita Shot Show 2016, conhecimentos que promete trazer ao Brasil, a fim de demonstrar, segundo ele, que “armas servem em prol da paz”.

“O direito ao acesso a armas nos EUA é sagrado em sua lei maior e está totalmente conectado com a ideia de liberdade, anti Estado autoritário. Lá não há registro de armas, sua compra é igual a comprar um chiclete - com exceção apenas da Califórnia - o governo não sabe quantas armas existem nas mãos dos cidadãos, estima-se em 500 milhões. Além disso qualquer pessoa pode ter quantas armas quiser, do calibre que desejar, até mesmo uma .50”, escreveu.

LEGISLAÇÃO: EUA x BRASILA Constituição dos EUA é originalmente composta por 7 artigos e é de 1789. De lá para cá...

Publicado por Eduardo Bolsonaro em Quinta, 21 de janeiro de 2016


A discussão sobre a flexibilização do Estatuto do Desarmamento deve ser um dos temas mais polêmicos a serem analisados na Câmara dos Deputados neste primeiro semestre. O presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), prometeu colocar o assunto na pauta – ele se diz contrário à iniciativa. Se aprovado, o projeto segue para o Senado.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS:


LEIA TAMBÉM

- Quem tem interesse em armar o Brasil? CPMI no Congresso vai investigar em 2016

- STF investiga integrante da Bancada da Bala por tortura e extorsão

- O que o Estatuto do Desarmamento tem a ver com as mulheres? Muita coisa!

- 'É preciso assumir que vivemos em um País genocida', diz líder de Mães de Maio

- ASSISTA: Deputado de Goiás quer aprovar o 'Bolsa Arma'

- Quem é e o que pensa o presidente da Bancada da Bala na Câmara dos Deputados