NOTÍCIAS

Brasil fecha 1,542 milhão de vagas formais de trabalho em 2015, pior dado em 23 anos

21/01/2016 12:51 -02 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02
rodrigobellizzi via Getty Images
Brazilian work document and social security document (carteira de trabalho) and brazilian currency (Real)

O Brasil encerrou 2015 com 1,542 milhão de vagas formais de trabalho perdidas, pior resultado anual desde o início da série histórica em 1992, ressaltando a deterioração do mercado de trabalho com a economia mergulhada em recessão.

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado pelo Ministério do Trabalho nesta quinta-feira, o número de postos fechados em dezembro, somente, chegou a 596.208, resultado inferior ao registrado em dezembro de 2014 (41,205 milhões) e de dezembro de 2013 (40,785 milhões).

Os setores que mais registraram queda foram a indústria de transformação e a construção civil, com -608.878 e -416.959 vagas, respectivamente.

A agropecuária foi o único setor que apresentou resultado positivo em 2015, com 9.821 postos de trabalho a mais do que no ano anterior.

De acordo com o ministro do Trabalho e Previdência Social, Miguel Rossetto, 2015 foi um "ano difícil", mas demonstrou otimismo.

"Os números não são bons. Mas as conquistas dos últimos anos estão preservadas, pois o estoque de empregos continua alto. Não é correto afirmar que 2015 destruiu as conquistas dos últimos anos. Continuamos com mercado formal elevado no país. Mesmo que os números não tenham sido positivos."

A atividade econômica registrou no ano passado seu pior desempenho em décadas. O ambiente de forte inflação e juros elevados foi também contaminado por intensa crise política e indefinições no fronte fiscal, que injetaram volatilidade no mercado e afetaram a confiança de empresários e famílias.

Segundo Rosseto, o governo tem como "prioridade absoluta" no próximo ano focar a preservação de trabalho e geração de emprego no país.

(Com informações da Reuters e Agência Brasil)

LEIA MAIS:

- Como a taxa básica de juros a 14,25% impacta negativamente sua vida

- Impostos: Crise derruba arrecadação e governo registra queda de 5,6%, pior nível desde 2010

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: