NOTÍCIAS

Após críticas de Bolsonaro, MEC tira do ar vídeo sobre educação sexual

18/01/2016 20:12 -02 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02
Montagem/Agência Brasil/Reprodução/Youtube

O Ministério da Educação tirou do ar um vídeo sobre educação sexual. A aula sobre diversidade estava hospedada no Portal do Professor desde março de 2009 e voltou a ser compartilhada nas redes sociais após a publicação de uma gravação do deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ).

Na publicação, o deputado denuncia uma falsa cartilha do ministério. Ele diz que a pasta estimula crianças com idade entre 9 e 10 anos a fazer sexo.

Já o vídeo que estava hospedado na página do ministério ensina a reconhecer e superar os preconceitos.

Nos dados sobre a aula, a pasta explica que o vídeo ensina a perceber "que o respeito à livre orientação sexual merece e deve ter a mesma atenção e cuidado dado a outras formas de discriminação, como o racismo e o sexismo”.

Acrescenta também que o aluno poderá aprender a “expandir a 'cultura de direitos' que deve permear a sociedade brasileira, visando o desenvolvimento livre e saudável da pessoa humana”.

O vídeo ainda está disponível no Youtube, no canal do Grupo Pela Vida - São Paulo.

Nos últimos dias, a aula foi alvo de reclamações no Twitter e na página do ministério.

Atualização

Em nota, o ministério afirmou que a aula "foi retirada do ar pelo MEC para avaliação e para evitar exposição indevida da autora". A pasta destacou que os professores postam sugestões e têm responsabilidade seus pelos textos.

Ressaltou ainda "que em todos os portais com uma grande quantidade de conteúdo elaborado de forma colaborativa, sempre há casos em que usuários se incomodam com alguns dos materiais publicados. Para isso, existem as ferramentas de denúncia de conteúdo impróprio, que alertam o administrador da página", acrescentou.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: