MULHERES
15/01/2016 17:51 -02 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02

Precisamos derrubar o mito de que grávidas devem ‘comer por dois'

pregnancy food illustration

Precisamos derrubar o mito de que as mulheres precisam “comer por dois” durante a gravidez, disse a principal autoridade de saúde da Inglaterra.

Dama Sally Davies disse que a obesidade entre as mulheres deve ser uma “prioridade nacional” e que o sobrepeso na gravidez pode ter efeitos negativos na saúde das crianças, tais como o risco de diabetes tipo 2.

Segundo a agência Press Association, Davies afirmou: “Nunca é tarde para adotar um estilo de vida mais saudável – para você e para sua família”.

As questões que envolvem mulheres e gravidez foram apresentadas junto com um relatório mais amplo sobre a saúde feminina – A Saúde dos 51%: Mulheres --, que indicou que mais de metade das mulheres entre 34 e 44 anos são classificadas como obesas.

Sally Davies disse que as mulheres devem ser “empoderadas” para levar vidas mais saudáveis, em nome de seus filhos e netos.

O relatório fez referência a pesquisas que mostram uma probabilidade maior de abortos naturais e nascimentos prematuros quando as mães estão acima do peso.

Davies disse também que gostaria de “acabar com o tabu” em relação aos problemas de saúde que as mulheres podem enfrentar durante ou depois da gravidez, tais como a incontinência pós-natal.

Ela disse: “As mulheres costumam relutar em procurar ajuda para problemas debilitantes. Isso tem de acabar – as mulheres jamais devem sofrer em silêncio.”

Jane Brewin, presidente da ONG Tommy’s, aplaudiu os comentários sobre a obesidade, especialmente durante a gravidez.

Ela disse ao HuffPost UK Parents: “A obesidade maternal durante a gravidez tem muitas implicações na gravidez e no nascimento, tanto para os bebês quanto para as mães, além de representar riscos de longo prazo para a criança”.

“Há mais riscos de complicações importantes na gravidez, incluindo aborto natural, nascimento prematuro e morte do feto.”

“O centro de pesquisas e clínica metabólica Tommy’s, em Edimburgo, educa mulheres sobre a obesidade durante a gravidez.”

“Grávidas obesas que procuram a clínica de metabolismo da Tommy têm oito vezes menos probabilidade de morte do feto do que as mulheres que têm IMC similar e não nos procuram.”

“Precisamos nos certificar de que as mulheres conheçam as dietas corretas e recebam informações sobre um estilo de vida saudável antes, durante e depois da gravidez.”

Cathy Warwick, presidente do Royal College of Midwives (https://www.rcm.org.uk/), uma organização que reúne as parteiras do Reino Unido, se disse satisfeita com o chamado das autoridades de saúde em relação a mais informações sobre a gravidez.

Ela disse ao HuffPost UK Parents: “Acho que o relatório reitera o que se costuma dizer para as grávidas, mas que não é necessariamente compreendido”.

“A realidade é que as mulheres não querem perder peso durante a gravidez. Todas as mulheres deveriam receber aconselhamento sobre alimentação saudável e nutrição durante a gravidez, pois elas acham que ganhar peso é uma consequência inevitável, mas não é.”

Warwick disse que uma das questões é a falta de informações para as mulheres antes da gravidez.

Ela acrescentou: “As mulheres acham suas consultas pré-natais muito corridas. Conselhos de boa qualidade exigem tempo”.

“Precisamos de tempo para passar essas mensagens incrivelmente importantes. Muitas mulheres dizem que nunca se consultam duas vezes com a mesma parteira, mas o ideal é sempre ver a mesma especialista durante a gravidez.”

Warwick disse que as grávidas que buscam aconselhamento deveriam primeiro procurar sua parteira, que pode, por sua vez, recomendar um especialista.

LEIA MAIS:

- Menino ou menina? Meus filhos é que decidem

- Fotógrafa registra imagens delicadas da coroação de bebês durante o parto [NSFW]

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost UK e traduzido do inglês.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: