NOTÍCIAS

Explosão em região turística de Istambul deixa mortos e feridos

12/01/2016 09:09 -02 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02
ASSOCIATED PRESS
A policeman gestures as he patrols with a colleague at the historic Sultanahmet district after an explosion in Istanbul, Tuesday, Jan. 12, 2016. An explosion in a historic district of Istanbul popular with tourists killed 10 people and injured 15 others Tuesday morning, the Istanbul governor's office said. (AP Photo/Lefteris Pitarakis)

Uma explosão no bairro histórico de Sultanahmet na cidade turística de Istambul, na Turquia, matou ao menos 10 pessoas e feriu outras 15 na manhã desta terça-feira (12), informou o governo.

A causa da explosão ainda está sendo investigada, mas o canal de televisão estatal TRT informou que provavelmente ela foi causada por um suicida.

Segundo o canal de televisão NTV, a explosão, que pôde ser ouvida em diversos outros bairros, aconteceu perto de um parque onde tem o marco do obelisco e próximo da basílica de Santa Sofia e da Mesquita Azul. A polícia fechou a região e impediu a aproximação de pessoas, em caso de uma segunda explosão.

“A explosão foi muito alta. Trememos muito. Corremos e vimos partes de corpos”, disse à Reuters uma mulher que trabalha em um antiquário próximo e não quis se identificar.

O bairro de Sultanahmet é uma das principais regiões turísticas da cidade. Além da Mesquita Azul, o local possui também o Palácio de Topkapi.

A Turquia sofreu dois grandes atentados a bomba no ano passado, ambos atribuídos ao grupo Estado Islâmico e há meses vive em estado de alerta depois do duplo atentado suicida que deixou 103 mortos, em outubro, em frente à estação central de trens em Ancara. Em julho, mais de 30 pessoas foram mortas em um ataque suicida na cidade de Suruc, perto da fronteira com a Síria.

O Ministério de Relações Exteriores alemão advertiu em seu site que "novos atos de violência e ataques terroristas são esperados por toda a Turquia". Além disso, a Alemanha pediu para que os viajantes fiquem longe de manifestações e aglomerações, principalmente nas grandes cidades.

(Com informações das agências de notícias)

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: