NOTÍCIAS

Xenofobia? Imigrante é ferido em ataque a abrigo para refugiados na Alemanha

04/01/2016 16:42 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:52 -02
Adam Berry via Getty Images
BERLIN, GERMANY - SEPTEMBER 26: Pakistani refugee Zahib Butt sleeps outside the LaGeSo State Office for Health and Social Services, the office for registering migrants, on September 26, 2015 in Berlin, Germany. Following the attacks in Paris that killed at least 129 people on November 13, several European politicians have seized the opportunity to call for limiting the entry of migrants, most of whom are fleeing war-torn, predominently Muslim countries, into Europe. Many refugees had already been fearing for their safety due to a number of violent incidents targeted towards migrants even prior to the attacks in Paris, which have only worsened their concerns of prejudice-motivated backlash. (Photo by Adam Berry/Getty Images)

Um imigrante foi ferido após um ataque a um abrigo de refugiados na cidade de Dreieich-Dreieichenhain, no oeste da Alemanha.

Segundo a polícia, o ataque aconteceu na madrugada da segunda-feira (4). Uma pessoa atirou pela janela do abrigo, ferindo um jovem de 23 anos. Ele foi tratado e liberado do hospital em seguida.

"Estamos investigando todas as hipóteses, inclusive a de xenofobia", afirmou a promotora Nina Reinigner.

No último ano, ataques contra abrigos de refugiados quadruplicaram para mais de 800, de acordo com o Ministério do Interior. Os dados sublinham as tensões criadas no seio da maior economia da Europa após uma fluxo recorde de imigrantes. A Alemanha registrou cerca de um milhão de pessoas pedindo asilo em 2015, o maior número desde o final da Segunda Guerra.

Muitos alemães se voluntariaram para ajudar os imigrantes com comida, roupas e aulas de idioma. No entanto, houve também uma alta do sentimento anti imigrante, que se traduziu no crescimento do partido Alternativa para a Alemanha (AfD, na sigla em alemão). Pesquisas de opinião recentes mostram que 10% do eleitorado simpatizam com a legenda, que ainda não tem representantes no Parlamento.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: