COMPORTAMENTO

Pare de brigar contra a evolução da linguagem das mensagens de texto. Ponto.

04/01/2016 10:19 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:52 -02

Mas reclamar gasta algumas calorias.

mensagem

Atrasado. Chego em 15!

Sem problemas – obrigado.

A mensagem de texto acima causa uma situação desconfortável. Por quê?

Porque a mensagem termina com um ponto final. Sim, pode ser apenas um “obrigado”. Ou pode ser um “obrigado, mas na verdade não muito porque seu atraso é irritante”.

Uma equipe da Universidade de Binghamton analisou o uso do ponto final em mensagens de texto em um estudo publicado na revista Computers in Human Behavior.

Os pesquisadores apresentaram a 126 estudantes universitários uma série de curtas mensagens de texto – representadas como uma tela de celular impressa em papel (porque orçamentos) – para que elas fossem avaliadas de acordo com a “sinceridade”.

Os participantes também receberam uma série de curtos bilhetes escritos à mão, copiados em máquinas Xerox, para comparação.

Eis um exemplo:

Dave me deu ingressos extra. Quer vir?

E a resposta.

Com certeza.

Para os estudantes de Binghamton, uma mensagem de texto que termina com ponto final não parece tão “sincera” quanto as outras. As reportagens sobre esse estudo fizeram pegar fogo as seções de comentários.

“Odeio abreviações de internet e o desleixo que elas provocam”, disse um comentarista incomodado.

“Filisteus”, declarou outro.

“Argumento que o uso da gramática, ortografia e pontuação corretas intimidam aqueles que prestam (ou prestaram) mais atenção no seu smartphone que em seus professores”, escreveu ainda outro.

Mas – prepare-se – sinceridade é só parte do papel do ponto final na evolução da língua. Tan tan tan tan!

Em um ensaio publicado em 2013 na revista The New Republic, mencionado pelos pesquisadores de Binghamton, Ben Crair argumenta que nosso menor sinal de pontuação pode nos ajudar a expressar outra coisa: diferentes níveis de raiva.

“Percebi em minhas mensagens de texto e meus chats”, escreveu Crair, “que as pessoas usam o ponto final não apenas para concluir uma frase, mas para anunciar: ‘Não estou feliz com a frase que acabei de concluir.”

Também percebi isso. Perguntando: “Você assiste ‘Real Housewives’?” e recebendo como resposta:

Não

Soa muito mais amigável que:

Não.

Mas, para mim, não se trata de sinceridade. Minha amiga sinceramente quer dizer que “Não, não assisto ‘Real Housewives’”, mas terminar a frase com ponto deixa claro para mim que ela está surpresa que eu tinha de perguntar.

Ou seja, o ponto final não está encobrindo o sentido real da mensagem. Está na verdade acrescentando outra camada de sentido.

Em outro cenário, mandei uma mensagem para uma amiga dizendo o que achava de um café. A resposta dela:

Concordo.

Aqui, o ponto final tem outra função – ênfase. Ela também acha que o Ost Café toca músicas boas (porque é verdade).

Quanto mais nos comunicamos por mensagem de texto, mais vemos o meio imitando a riqueza da comunicação cara-a-cara, mesmo que essas nuances venham à custa da pontuação “correta”. Por mais doloroso que seja. (Nota para os autodeclarados gramáticos: conhecer as regras da língua e decidir ignorá-las para transmitir melhor suas ideias não significa educação deficiente, como sugere um comentarista de Facebook http://www.huffingtonpost.com/entry/texting-period_5655ee5de4b072e9d1c16ec6.) Como um emoji, o número de Is no “Oi”, ou qualquer outra dica visual usada na comunicação por escrito para indicar tom ou intenção, o ponto final virou uma questão delicada.

De sua parte, os pesquisadores de Binghamton reconhecem que o assunto vai além dos resultados de um único experimento. “Afirmamos não tanto que o ponto é usado para transmitir falta de sinceridade nas mensagens de texto”, diz o relatório, “mas sim que a pontuação é uma das dicas usadas por quem envia a mensagem, e entendidas pelos receptores, para transmitir informações pragmáticas e sociais”.

A equipe também conclui pedindo mais atenção ao tema, afirmando que os resultados do estudo “destacam a potencial utilidade” de novas investigações do tipo. (Imagine só as brigas que veremos se alguém aceitar essa sugestão!)

Portanto, tem alguma coisa estranha com o nosso uso do ponto final? Provavelmente. Pontos finais em mensagens de texto indicam algo além do nível de sinceridade. Provavelmente. Você tem de xingar a inexorável evolução da linguagem humana? Provavelmente não. Você só vai ficar cansado.

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: