NOTÍCIAS

Marta e Neymar na Olimpíada, a revanche de Ronda, Dream Team... 11 momentos que o esporte reservou para 2016

02/01/2016 10:18 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:52 -02

Ano olímpico é sempre a mesma deliciosa coisa: imagens históricas, embates fantásticos, superação e o ser humano brincando um pouco de Deus e um montão de super-herói.

Quem vai ficar com o ouro? Quem vai ficar com o direito de gravar para sempre uma imagem na sua cabeça?

Numa época de esporte recheada de recordistas e atletas inovadores e vanguardistas, 2016 e, claro, a Olimpíada no Rio de Janeiro prometem elevar ainda mais a barra de dificuldade para as próximas gerações de mulheres e homens de aço.

Abaixo estão alguns destes momentos.

Não é exercício de previsão, futurologia nem algum tipo novo de astrologia ligada ao esporte. É que para além dos instantes em que tudo pode acontecer, alguns atletas viverão nestes próximos 365 dias os momentos mais marcantes de suas carreiras. Para o bem ou para o mal.

Afinal, no esporte, uma torção, um treino mal executado ou uma cabeça cheia demais fazem toda a diferença. E a beleza mora exatamente aí.

  • 1. Marta, ainda maior que Pelé?
    Clive Rose / FIFA / Getty Images
    Vencedora do prêmio de Melhor Jogadora do Ano por cinco anos consecutivos (2006, 2007, 2008, 2009, 2010) - feito que nem Lionel Messi conseguiu, aliás -, Marta é a maior esperança de medalha no futebol feminino. Pelé ficou para trás como maior artilheiro, mas a camisa 10 pode ir mais longe e garantir o ouro na Olimpíada do Rio de Janeiro.
  • 2. Serena Williams contra o resto
    Julian Finney / Getty Images
    Só um tremendo imprevisto ou uma contusão muito grave tira de Serena Williams a possibilidade de tornar-se ainda em 2016 a maior vencedora de Grand Slams na história do tênis. Eleita a atleta do ano pela Sports Illustrated 2015, tem fome de vitória: "Se me apegar em toda negatividade, isso realmente pode me derrubar. Não tenho tempo de ser jogada para baixo. Eu tenho muitas coisas para fazer. Tenho Grand Slams para vencer. Preciso inspirar as pessoas".
  • 3. Ronda x Holm: as mulheres brilhando no UFC 200?
    Josh Hedges/ Zuffa LLC / Getty Images
    Após nocaute histórico de Holly Holm no UFC 193, Ronda perdeu o rumo e ganhou uma porção de novas dores. São meses sem poder comer uma maçã. "Quero a revanche, mas quem decide é o UFC e o time dela [Holm], então veremos o que irá acontecer." A especulação é para junho, no histórico UFC 200.
  • 4. Terezinha Guilhermina: coragem e raro talento
    Alexandre Schneider / Getty Images
    Terezinha Guilhermina tem uma família grande - são 12 irmãos. Cinco, assim como ela, são deficientes visuais. A atleta mineira de 37 anos vai para o que podem ser seus últimos Jogos Paralímpicos. Porta-bandeira e novamente campeão no Parapan de Toronto neste ano, ela chega inteira para tentar levar sua quarta medalha de ouro olímpica. 100 ou 200 metros, pouco importa: se Terezinha está lá, a prova já tem uma favorita.
  • 5. Fabiana Murer quer o mundo. E está pronta para ele
    Getty Images
    Além do segundo lugar no Mundial, Fabiana Murer faturou a prata também nos Jogos Pan-Americanos de Toronto. "Posso melhorar no meu salto, na minha técnica [de salto] para, quem sabe, sair com o ouro olímpico". O obstáculo são os tais cinco centímetros que a separam hoje da cubana Yarisley Silva, a melhor do planeta em 2015. Mas, com maior confiança e experiência, Fabi quer passar também esse obstáculo.
  • 6. O nosso campeão Arthur Zanetti vai manter-se firme?
    Getty Images
    Campeão olímpico em Londres, campeão do mundo na Turquia e bicampeão pan-americano. Arthur Zanetti domina as argolas da ginástica artística nos últimos anos. O que o levou para o Pão de Açúcar para um show de habilidades, mas também joga imensas responsabilidades sob seus ombros. Até aqui, Zanetti tirou a expectativa de letra. A evolução como atleta veio também. O que poderia significar um lugar garantido no pódio não fosse sua modalidade uma das mais complicadas, fisicamente e mentalmente. Arthur tem um grande desafio e pode perfeitamente sair gigante dele.
  • 7. Resumindo: Daniel Dias é nosso maior atleta. E ponto final
    Ian MacNicol / Getty Images
    É possível que Daniel Dias seja o grande nome paralímpico da história, o nosso Phelps. Vencedor das edições de 2009 e 2012 do Prêmio Laureus, algo como o "Oscar do esporte", Daniel enfileira recordes, títulos e medalhas quase na mesma velocidade em que nada. Maior medalhista em Jogos Parpan-Americanos, com 27 medalhas, todas douradas. Em Mundiais, o paulista soma 30 medalhas, sendo 24 de ouro. Em Paralimpíadas, são 15 medalhas, sendo 10 no topo do pódio. Para se ter uma ideia, em Toronto, Daniel nadou oito provas e levou o ouro nas oito. Um fenômeno.
  • 8. Phelps, o candidato a maior vencedor do ano. Dentro e fora das piscinas
    Otto Greule Jr / Getty Images
    As 18 medalhas de ouro não conseguiram tirar Michael Phelps do alcoolismo e da depressão. "Eu realmente estava em um lugar escuro. Não queria mais estar vivo", disse ele numa entrevista à Sports Illustrated. Acontece que ele quer fazer parte do Team USA novamente, quer vir ao Rio para ampliar ainda mais a impressionante marca de maior atleta olímpico que o planeta já viu. E, quando um gênio quer fazer as coisas acontecerem, quase sempre elas acontecem. E das formas mais incríveis.
  • 9. Quem apostar contra Neymar vai quebrar a cara. De novo.
    Buda Mendes / Getty Images
    É claro que disputar com Lionel Messi e Cristiano Ronaldo nunca será fácil. Mas também é bastante óbvio ver que Neymar é, sim, um claro candidato a tornar-se o grande futebolista do planeta nos próximos anos. A resposta do camisa 11 do Barcelona (e 10 da Seleção Brasileira) para o fracasso nacional na Copa do Mundo de 2014 foi impressionante: menos faltas cavadas e uma série incrível de dribles, assistências e gols. Em tempo recorde, Romário, Ronaldo e Rivaldo foram colocados no bolso com camisa azul e grená. Neymar faz história numa velocidade impressionante no maravilhoso ataque do esquadrão catalão. Para 2016, após varrer as taças com seu clube, será tempo de Neymar tentar uma façanha ainda inédita para o Brasil: a medalha de ouro olímpica.
  • 10. Diga que é verdade, por favor... O Dream Team está chegando!
    Ethan Miller / Getty Images
    Ao que tudo indica, após alguns anos longe de circulação, será vez de os Estados Unidos reunirem todo os astros da NBA numa equipe só. Se fosse só isso já seria muito, certo? Mas o que dizer da geração que tem LeBron James (foto), Stephen Curry, Kevin Durant, James Harden, Anthony Davis, Blake Griffin e companhia ilimitada de talento. Curry, o MVP da temporada 2014/2015 e fortíssimo candidato a repetir o feito, está com sede: “Estou definitivamente animado para fazer parte da seleção Olímpica. Seria um sonho realizado. Viver a cultura, as paisagens, e toda a experiência Olímpica no Rio... Será uma memória única na minha vida”.
  • 11. Uma flecha 'imparável' e incomparável. Esse é Usain Bolt
    Antonin Thuillier / Getty Images
    Pode até parecer que a diferença seja pequena, vendo a linha de chegada, mas a verdade é que somente Usain Bolt será capaz de derrubar Usain Bolt. O jamaicano mantém os recordes mundiais dos 100 e 200 metros rasos, além do revezamento 4 x 100 metros. Ele é o único atleta da história do atletismo a conseguir o bicampeonato nas três modalidades em Jogos Olímpicos de forma consecutiva. Até aqui são seis medalhas de ouro em provas de velocidade, sendo 11 vezes campeão mundial. E o homem mais rápido do planeta chega ao Rio querendo tornar-se o primeiro e único tricampeão dos 100, 200 e do revezamento 4 x 100 metros em sequência, perpetuando longos 12 anos de domínio nas pistas.


SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: