NOTÍCIAS

SeaWorld processa Califórnia por proibir reprodução de baleias em cativeiro

30/12/2015 18:51 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:52 -02
Greg Lilly Photos/Flickr

O SeaWorld entrou na Justiça na última terça-feira (29) contra as autoridades da Califórnia buscando anular uma decisão que só permite que o parque temático de San Diego expanda seu habitat de orcas se parar de reproduzir em cativeiro esses animais, conhecidos como baleias assassinas.

A ação, aberta no Tribunal Superior de Justiça de San Diego, alega que a Comissão Costeira da Califórnia ultrapassou sua autoridade quando impôs a restrição de reprodução, porque não tem jurisdição sobre os mamíferos marinhos, que estão sob regulamentação da legislação federal.

De acordo com os termos da queixa, a comissão, que supervisiona empreendimentos ao longo da costa da Califórnia, só tem competência para aprovar ou rejeitar projetos de construção no parque e, com sua medida, iria efetivamente acabar com os populares espetáculos de baleia assassina do SeaWorld.

"A condição força o SeaWorld a concordar com a eventual extinção de seu show de orcas, legalizado e regulamentado pelo governo federal, ou a retirar o pedido de autorização e renunciar ao esforço para melhorar o habitat das orcas", disseram os advogados do SeaWorld Parks & Entertainment.

Durante uma audiência de sete horas para solucionar o contencioso, em outubro, a Comissão Costeira da Califórnia votou por unanimidade para dar ao SeaWorld permissão para dobrar o tamanho de suas piscinas de orca desde que o parque encerre o seu programa de reprodução em cativeiro e não transfira nenhum de seus mamíferos marinhos para outras instalações.

Participantes da audiência contrários à exposição das orcas questionaram o tratamento dado pelo SeaWorld aos animais em cativeiro e exigiram que a população de 11 orcas do parque seja solta na natureza.

Funcionários da comissão não retornaram imediatamente as ligações para comentar sobre a ação judicial.

Oito das 11 orcas do SeaWorld são o resultado de reprodução em cativeiro, segundo o processo.

Fim dos shows performáticos

Em um movimento para reposicionar sua marca e superar uma crise de imagem, o SeaWorld anunciou que vai acabar com os shows acrobáticos envolvendo baleias no parque de San Diego a partir de 2017.

Segundo o San Diego Tribune, no lugar da atração, entra um show com os animais, mas que deve ser focado no comportamento natural das baleias. A France Presse classificou a nova atração como "informativa".

"Nós ouvimos os nossos visitantes e, o que temos percebido, aqui na Califórnia, é que eles desejam experiências mais naturais", afirmou o diretor-executivo da companhia Joel Manby.

Beaseada em Orlando, na Flórida, a SeaWorld Entertainment opera 11 parques nos EUA, três deles que abrigam baleias: SeaWorld San Diego, SeaWorld San Antonio e SeaWorld Orlando. A decisão, no entanto, só afeta a unidade do parque na Califórnia.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: