MUNDO

Da Escócia, ele alimenta 1 milhão de crianças pelo mundo

27/12/2015 12:34 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:52 -02

magnus macfarlanebarrow

Em 1992, na região de Argyll, Escócia, Magnus MacFarlane-Barrow estava em um bar com seu irmão Fergus quando notícias e imagens da guerra na Bósnia invadiram o noticiário. Emocionados, os dois decidiram juntar doações para ajudar as famílias afetadas pela violência do conflito.

Com os mantimentos estocados, foram à Bósnia entregar o que arrecadaram e lá passaram alguns dias. Ao retornarem para a Escócia, a surpresa: amigos e vizinhos continuavam a levar doações. Como resultado, Magnus acabou deixando o trabalho para trás e viajou 23 vezes para a região apenas naquele ano.

Os irmãos fundaram uma entidade beneficente chamada Scottish Relief Fund (SRF), que se expandiu e acabou por virar a Mary’s Meals (Refeições de Maria, em português) em 2002, iniciativa que oferece uma refeição por dia escolar a crianças em situação de vulnerabilidade.

Esse projeto deu tão certo que ultrapassou em 2015 a impressionante marca de um milhão de crianças atendidas em 12 países da África, Ásia e América Latina.

Da Escócia, Magnus conversou com EXAME.com sobre a Mary’s Meals, os planos para o futuro da entidade e também sobre a crise humanitária que envolve imigrantes e refugiados da África, Ásia e Oriente Médio. Veja abaixo os principais trechos da entrevista.

EXAME.com – Vocês hoje alimentam mais de um milhão de crianças em todo o mundo. Essa é uma marca impressionante. Como você se sente sabendo que muitas delas sobrevivem por causa desse trabalho?

Magnus – Eu ainda fico surpreso em saber que mais de um milhão de crianças em escolas de todo o mundo estão comendo as refeições da Mary’s Meals. Sou muito grato em ver as maneiras como esse movimento cresceu e pelos esforços da nossa família global, cujos atos de amor tornaram esse trabalho possível.

Todas as pessoas envolvidas na Mary’s Meals devem se orgulhar, desde aquelas que nos ajudaram a arrecadar os primeiros fundos até as mães e avós que acordam cedo todos os dias para cozinhar e servir as refeições nas escolas. Nossa crença de que toda criança merece uma refeição no local onde recebe educação nos une e nos motiva a sempre seguir em frente.

Como surgiu a ideia de fundar a Mary’s Meals?

Em uma viagem ao Malawi em 2002, um garoto chamado Edward me contou que seu sonho era ir para a escola e ter comida o suficiente para sobreviver. Sua mãe, Emma, estava morrendo de Aids e ele tinha outros cinco irmãos mais novos.

O fato de que esse era um sonho dele e também a sua esperança mexeram comigo. As palavras de uma criança de 14 anos despertaram em nós a missão de atrair crianças para a escola ao oferecermos uma refeição por dia. Mary’s Meals é uma ideia simples que funciona.

Qual a importância de se oferecer uma refeição por dia para essas crianças?

Trabalhamos com crianças em situação de vulnerabilidade em muitos dos países mais pobres do mundo. Na maioria das vezes, a refeição que oferecemos é a única que eles têm acesso durante todo o dia.

A comida permite que necessidades imediatas dessas crianças sejam atendidas, reduzindo a fome, contribuindo para o aumento da concentração e da aprendizagem e melhorando a saúde e o bem-estar. Testemunhei os impactos dos nossos programas e temos registros que mostram que melhoramos as taxas de matrícula nas escolas, de frequência escolar e de progressões entre séries.

O programa de alimentação encoraja o apoio à educação pela população local e contribui para a economia, já que adquirimos a comida de produtores locais. Ainda deixamos os governos observarem os benefícios da merenda escolar e como é o funcionamento de um programa eficiente e barato.

A Mary’s Meals permite que crianças em todo o mundo saibam que elas são importantes. A educação traz esperanças de um futuro melhor e investir nisso contribuirá para que gerações futuras tenham os meios para se sustentar e atingir todo o seu potencial.

Como é uma refeição típica da Mary’s Meals?

Oferecemos uma variedade de refeições, dependendo do local no qual estamos atuando, e tentamos sempre garantir que ela seja adequada à cultura daquela região. Todas elas são escolhidas por seus valores nutricionais, popularidade e facilidade no preparo. Quando possível, preferimos apoiar as economias locais e compramos os ingredientes direto com os produtores.

Somos uma caridade de baixo custo e gastamos 93% das nossas doações nessas atividades. O custo de uma refeição em âmbito global é de cerca de 9 centavos de dólares (em média 40 centavos de real) e o custo médio anual de se alimentar uma criança é de cerca de 19,50 dólares (cerca de 78 reais).

Quais os planos para o futuro da Mary’s Meals?

Vamos continuar trabalhando para espalhar a nossa mensagem, incentivando o movimento global e alcançando cada vez mais crianças que precisam de uma refeição diária para aprender e para crescer.

Ainda há 59 milhões de crianças fora das escolas em todo o mundo e milhões delas passam fome. Então, embora estejamos felizes de ter alcançado a marca de um milhão de crianças atendidas, consideramos que esse é “nosso primeiro milhão”. O trabalho está apenas começando e ainda há muito para ser feito.

Você já trabalhou ajudando refugiados a retornaram para seus lares. Como enxerga a crise de refugiados que acontece no mundo hoje?

Toda a sociedade foi profundamente impactada por essa crise, que é a emergência humanitária mais grave da atualidade. Com isso em mente, Mary’s Meals está explorando a possibilidade de lançar um programa de alimentação para as crianças afetadas. Esperamos que isso possa ajudar a aliviar a pressão em suas famílias nesse momento tão difícil.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: