NOTÍCIAS

Papa pede união contra atrocidades terroristas em mensagem de Natal

25/12/2015 11:29 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:52 -02
Franco Origlia via Getty Images
VATICAN CITY, VATICAN - DECEMBER 25: Pope Francis waves to the faithful as he delivers his 'Urbi et Orbi' blessing message from the central balcony of St Peter's Basilica on December 25, 2015 in Vatican City, Vatican. During his Christmas message Pontiff Sayd ' My thoughts turn to those affected by brutal acts of terrorism, particularly the recent massacres which took place in Egyptian airspace, in Beirut, Paris, Bamako and Tunis. (Photo by Franco Origlia/Getty Images)

O papa Francisco pediu ao mundo em sua mensagem de Natal que se una para acabar com as atrocidades de militantes islâmicos que ele disse estão causando imenso sofrimento em muitos países.

A segurança foi forte no Vaticano enquanto o papa Francisco, marcando o terceiro Natal desde sua eleição em 2013, lia seu tradicional discurso "Urbi et Orbi" (para a cidade e o mundo) do Dia de Natal da sacada central da Basílica de São Pedro.

Dezenas de milhares de pessoas tiveram suas bolsas inspecionadas ao entrarem na área do Vaticano e então passaram por inspeções como em aeroportos se quisessem entrar na Praça de São Pedro.

A polícia antiterrorismo munida com armas patrulhava discretamente a área em vans com janelas escuras.

Depois de pedir o fim das guerras civis na Síria e na Líbia, o papa disse:

"Que a atenção da comunidade internacional esteja direcionada de forma unânime ao fim das atrocidades que nesses países, assim como no Iraque, Líbia, Iêmen e África subsaariana, mesmo agora ceifam numerosas vítimas, causam imenso sofrimento e não poupam nem o patrimônio histórico e cultural de povos inteiros."

Ele estava claramente se referindo aos militantes do Estado Islâmico que realizaram vários ataques a esses países e destruíram muitos locais de herança cultural.

O pontífice condenou recentes "atos brutais de terrorismo", incluindo os ataques de 13 de novembro por militantes islâmicos que mataram 130 pessoas em Paris, e a derrubada de um avião russo na península do Sinai, no Egito, que matou 224 pessoas em 31 de outubro. Ambos foram reivindicados pelo Estado Islâmico.

"Somente a misericórdia de Deus pode livrar a humanidade das muitas formas de mal, algumas vezes mal monstruoso, que o egoísmo gera em nosso seio", disse ele. "A Graça de Deus pode converter corações e oferecer à humanidade uma maneira de sair de situações humanamente insolúveis."

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: