ENTRETENIMENTO

4 motivos pelos quais 'Star Wars: O Despertar da Força' é o melhor filme da franquia

17/12/2015 15:21 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:52 -02

Finalmente chegou um dos momentos mais esperados de 2015: a estreia do filme Star Wars: O Despertar da Força, nesta quinta-feira (17).

Os fãs da série esperaram uma década para se divertir com uma nova aventura ambientada no universo criado por George Lucas – com bastantes viagens espaciais, sabres de luz, alienígenas e droids (andróides com inteligência artificial).

Já faz quase 40 anos que Star Wars é um pedaço importante da cultura pop mundial. Em 1977, a saga estreou com o episódio quatro, Uma Nova Esperança, sucesso imediato de crítica e público.

Em seguida, vieram os episódios cinco e seis, O Império Contra-Ataca (1980) e O Retorno de Jedi (1983).

Estes três filmes contam como a Aliança Rebelde derrota o Império Galáctico, dominado pelo Imperador Palpatine (Ian McDiarmid), mestre Sith que tem Darth Vader (David Prowse e James Earl Jones) como braço-direito.

star wars force awakens

A Aliança tem como principais membros os gêmeos Luke Skywalker (Mark Hamill), um cavaleiro Jedi, e Leia Organa (Carrie Fisher), princesa e membro do Senado Imperial; e o contrabandista de cargas Han Solo (Harrison Ford).

Na década de 1990, George Lucas retomou sua criação para explicar, por meio de outra trilogia, como Palpatine se infiltra na política da então República para dar um golpe de Estado que resulta na ascensão do Império sombrio e opressor.

Também é contado como o promissor Jedi Anakin Skywalker (Hayden Christensen) se junta a Palpatine e se torna Darth Vader. Anakin era casado com a rainha Padmé Amidala (Natalie Portman), com quem teve Luke e Leia.

Os gêmeos foram separados no nascimento, criados por famílias diferentes e se encontraram pela primeira vez no quarto episódio. Os acontecimentos estão registrados em A Ameaça Fantasma (1999), A Guerra dos Clones (2002) e A Vingança dos Sith (2005).

Esta última trilogia, escrita e dirigida por George Lucas, rendeu alguns bilhões de dólares, mas não agradou à crítica e ao público fanático de Star Wars. Dez anos depois, é compreensível que fãs tenham receio de que a saga seja mandada para o beleléu novamente.

Mas não se preocupem: a espera valeu a pena. O sétimo episódio, O Despertar da Força, é o melhor de todos. O filme é dirigido por J.J. Abrams e esta escolha é importante para o novo Star Wars ser essa belezura toda.

Abaixo, a gente te explica por que o sétimo episódio é a franquia em seu ápice.

1. O ótimo diretor.

Abrams é conhecido principalmente por colocar suas mãos mágicas em Star Trek, outra franquia famosa. Ele dirigiu dois filmes com o alienígena de orelhas pontudas Spock: Star Trek – Além da Escuridão (2013) e Star Trek (2009) – e relançou a série ao sucesso de crítica, público e bilheteria.

Além de ter em seu vasto currículo duas das maiores obras de ficção científica já criadas, Abrams também é criador das séries de TV Lost – pela qual ele ganhou dois Emmy – e Fringe. Os filmes Super 8 (2011) e Missão: Impossível 3 (2006) também são dele.

Os vários acertos na carreira de Abrams o levaram a dirigir o novo Star Wars. Sorte desta série, pois o diretor é um contador de histórias muito mais habilidoso que George Lucas.

O criador de Star Wars derrapa na segunda trilogia por preferir a enrolação ao dinamismo, os diálogos teatrais à simplicidade e uma festa colorida de sabres de luz ao drama político que existe ali.

Se Lucas erra nesses aspectos, Abrams acerta – e em vários outros também. O diretor sabe narrar com mais inteligência, agilidade e elegância, além de entender tanto de drama quanto de efeitos especiais.

Não diferente de O Império Contra-Ataca e O Retorno de Jedi, Star Wars fica melhor com menos envolvimento de seu criador.

2. O ótimo roteiro.

jj abrams lawrence kasdan

Escrito em parceria por Abrams, com Lawrence Kasdan (ambos na foto acima) e Michael Ardnt, o texto de O Despertar da Força é, por si só, uma obra-prima.

Ele traz características dos melhores filmes de fantasia e aventura de Hollywood, como rapidez, diálogos simples e afiados, e senso de humor nos momentos adequados.

A história se passa 30 anos após os acontecimentos de O Retorno de Jedi e mostra Rey (interpretada por Daisy Ridley), uma jovem catadora de lixo à espera de sua família no planeta Jakku. O caminho dela cruza com o de Finn (John Boyega), ex-stormtrooper que serve à facção Primeira Ordem, do lado obscuro da Força. Ele prefere ser perseguido pelo grupo em vez de colaborar com seu plano de transformar a República em um novo império sombrio.

Cada um com um objetivo, ambos se unem para fugir da Ordem – este é o pontapé inicial de toda a (imprevisível) história.

"Chewie, estamos em casa."

Outros personagens novos são Kylo Ren (Adam Driver), habilidoso ex-cavaleiro Jedi que agora serve à Primeira Ordem; o piloto Poe Dameron (Oscar Isaac); a pirata Maz Kanata (Lupita Nyong'o, em captura de movimentos); o General Hux (Domhnall Gleeson), que atua junto a Ren; Snoke (Andy Serkis, também em captura de movimentos), líder supremo que chefia Ren e Hux; e, roubando a atenção de todos, o droide BB-8, parceiro de Rey e Finn.

Os inesquecíveis Han Solo, Leia e Chewbacca (Peter Mayhew) também estão no filme.

Kasdan é roteirista dos aclamados O Império Contra-Ataca e Os Caçadores da Arca Perdida (1981; da franquia Indiana Jones), de Steven Spielberg – sujeito próximo à Star Wars por ser amigo de George Lucas.

Ardnt é ganhador do Oscar por ter escrito a comédia Pequena Miss Sunshine (2006) e foi indicado por Toy Story 3 (2010).

Tinha como dar errado?

3. Há mais diversidade, finalmente.

star wars the force awakens

Como o HuffPost Brasil já te contou, O Despertar da Força passa pelo teste feminista de Bechdel. Ou seja: há mais de uma mulher do filme, elas conversam entre si e o assunto não é um homem.

Além disso, trata-se do primeiro Star Wars protagonizado não só por uma mulher, mas por um negro.

4. O ótimo elenco.

star wars force awakens

Os novos personagens apresentados são interpretados por alguns dos melhores jovens atores trabalhando hoje.

Em O Despertar da Força, o diretor conseguiu extrair deles atuações marcantes, que conseguem equilibrar força e a sutileza.

Adam Driver, que já se mostrou capaz de ser hilário ou emocionante na série Girls, da HBO, consegue captar as dores de Kylo Ren sem torna-las exageradas.

John Boyega é um dos melhores aspectos de Ataque ao Prédio (2011). Na ficção científica, o ator é o líder de um grupo de garotos da periferia londrina que defende a "quebrada" em que eles moram de uma invasão alienígena. Não diferente do que fez neste filme, em Star Wars, ele atua com sensibilidade, compreendendo como o passado de Finn o influencia em sua nova jornada.

Daisy Ridley ainda é um rosto novo no entretenimento, mas deixa claro em O Despertar da Força é boa de verdade no que faz.

Em papéis coadjuvantes, Domhnall Gleeson e Lupita Nyong'o também roubam a cena quando aparecem.

BÔNUS: Vêm aí mais episódios – que prometem muito.

rogue one star wars

As filmagens do oitavo episódio – comandado por Rian Johnson, de Looper: Assassinos do Futuro (2012) e episódios de Breaking Bad – já estão rolando, com uma boa parte do novo elenco que nos é apresentado em O Despertar da Força. A estreia será em 2017.

Johnson será o roteirista do nono episódio, dirigido por Colin Trevorrow (Jurassic World: O Mundo dos Dinossauros), cuja estreia será em 2019.

A Lucasfilm também tem preparado filmes focados em apenas um personagem cada, que não estarão no contexto da nova trilogia.

Um deles se chama Rogue One: a Star Wars Story (imagem acima), que se passará entre os episódios três e quatro e contará como um grupo de rebeldes tentou roubar planos do Império sobre a Estrela da Morte, a arma principal do lado sombrio da Força. Estreia em dezembro de 2016.

Outro será uma aventura de Han Solo, dirigida pela dupla Phil Lord e Christopher Miller (Uma Aventura Lego), que chega em 2018.

Por fim, o caçador de recompensas Boba Fett terá um longa só para si, com previsão de estreia para 2020.

O Despertar da Força é, pelo visto, apenas o início de uma ótima época para ser fã de Star Wars.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: