NOTÍCIAS
16/12/2015 20:18 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:52 -02

Será que a calvície realmente ‘pula' gerações? Um médico especialista no assunto responde

Agência Brasil/Flickr
Geraldo Alckmin reúne-se com Eduardo Cunha, acompanhado do secretário de Segurança Pública, Alexandre de Moraes. No encontro, o governador propôs mudanças no Código Penal (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

Ou será que é só um conto da carochinha?

Talvez você conheça um cara, talvez você tenha ouvido a sua história, ou talvez você seja ele: esse homem que uma vez teve um cabelo saudável, brilhante, grosso e invejável e agora é careca.

Será que foi porque o pai de sua mãe era calvo – é comum pensar que a calvície pula gerações – ou era a sua testosterona? Será que vai acontecer com você?

Pedimos ao Dr. Alan J. Bauman, médico especialista certificado em restauração de cabelos em Boca Raton, na Florida, para que nos ajudasse com os fatos.

Sim, a calvície pula gerações:

"Agora sabemos que existem mais de 200 genes que regulam o cabelo e seu crescimento", disse Bauman, que atende mais de 1.000 pacientes ao ano em sua clínica, ao HuffPost. "A qualidade da cor, sua textura e o comprimento dos ciclos de crescimento, padrões de calvície e a velocidade da queda – todos esses dados juntos determinarão a velocidade em que você verá a perda ocorrer, a velocidade da evolução da queda e por quanto tempo mais ela ocorrerá na sua vida".

Afinal, trata-se do número de cromossomas X da sua mãe e os cromossomas Y que carregam o gene da calvície do seu pai.

"Pode pular gerações e pular irmãos também. É assim que um gene recessivo normalmente funciona", disse Bauman. Então, observe toda a sua família – irmãos, pais, avós, tios e tias – para ver se existe algum tipo de queda de cabelo entre eles. Se tiver, é melhor intervir cedo.

Mas não é só isso:

Muitos fatores podem funcionar como gatilho para a queda de cabelo, disse Bauman: alguns remédios, a sua dieta e ciclos de sono e vigília são alguns exemplos. "Os folículos capilares podem ser bem sensíveis".

Mas a causa principal é o estresse, que "certamente é o gatilho em cada um dos pacientes que entram aqui no consultório".

O que você pode fazer?

Permaneça atento. "Você pode perder até 50 por cento da massa capilar sem que seja visível a olho nu", disse Bauman. "Esse é o problema".

Observe os sintomas da queda capilar em outros lugares: no seu travesseiro, no ralo de chuveiro – se você ver mais cabelo seu pela casa, você pode estar passando por um período de perda de cabelo.

Você pode marcar uma consulta com um tricologista (médico especialista em cabelo e couro cabeludo ) para que ele avalie o seu couro cabeludo ou busque tratamentos especiais tais como uma transformação no couro cabeludo, que Bauman aplica na sua clínica em Boca Raton.

"Isso é uma coisa incrível hoje em dia", disse Bauman.

"Temos vários tratamentos eficazes disponíveis".

Quer seja com tratamentos via oral, medicamentos tópicos, terapia de luz laser ou modificações nutricionais, eliminando os fatores de risco "Você pode fazer muitas coisas para frear a perda progressiva de cabelo hoje em dia", disse ele. "A realidade de 20 anos atrás, quando existia muito remédio charlatão e produtos milagrosos, acabou".

Nem todos os métodos funcionam para todo mundo, então fale com o seu médico para descobrir quais tratamentos seriam melhores para você.

(Tradução: Simone Palma)

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: