NOTÍCIAS
15/12/2015 11:29 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:52 -02

'Você não vê, mas existe': Tribunal Superior do Trabalho levanta a questão sobre trabalho infantil em carvoarias

Mohd Samsul Mohd Said via Getty Images
KUALA SEPETANG, MALAYSIA - SEPTEMBER 21: Children collect charcoal outside the kilns after three weeks of finishing process at a traditional Malaysian charcoal factory on September 21, 2015 in Kuala Sepetang, Malaysia. The charcoal is made from greenwood that has been harvested from the mangrove forest reserve and these trees are transported by boat, Malaysians are toiling in baking heat to produce quality mangrove charcoal for Japanese customers who have helped revive this industry despite environmental concerns, 80+ year old factory continues to thrive as 60% of charcoal produced are exported to Japan with a total production of around 3,500 tonnes of charcoal a month. (Photo by Mohd Samsul Mohd Said/Getty Images)

O Tribunal Superior do Trabalho lançou nesta segunda-feira (14) uma campanha de combate ao trabalho infantil, principalmente ao trabalho de crianças e adolescentes em carvoarias.

"Cerca de 550 mil crianças entre 5 e 13 anos de idade encontram-se em situação ilegal de trabalho infantil", diz o TST na descrição da campanha divulgada em seu canal no YouTube. "Uma das piores formas de trabalho infantil é o trabalho em carvoarias, que causam intoxicações agudas e crônicas além de queimaduras e envelhecimento precoce."

De acordo com o MTE (Ministério do Trabalho e Emprego), mais de 5.688 crianças e adolescentes deixaram a condição de trabalho infantil entre abril de 2014 e abril de 2015.

Mesmo assim, o Brasil e o mundo estão longe de erradicar o trabalho infantil. Em junho deste ano, a OIT (Organização Internacional do Trabalho) afirmou que 168 milhões de crianças realizam trabalho infantil em todo o mundo. Destas 120 milhões têm idades entre 5 e 14 anos e 5 milhões têm condições análogas à escravidão.

De acordo com dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) 2014, a exploração da mão de obra infantil no País cresceu 4,5% no ano passado em relação a 2013.

Enquanto em 2013 havia 3,188 milhões de crianças e adolescentes na faixa de 5 a 17 anos de idade trabalhando, em 2014, o contingente subiu para 3,331 milhões. Os meninos representam dois terços desse total.

No Facebook, o TST lançou a hashtag #CombateaoTrabalhoInfantil para divulgar a campanha.

"O trabalho em carvoarias está na lista das piores formas de trabalho infantil (ListaTIP) e pode causar nas crianças lesões e deformidades osteomusculares, além de ferimentos, mutilações e doenças respiratórias."

Veja abaixo o vídeo da Campanha de Combate ao Trabalho Infantil do TST:

#CombateaoTrabalhoInfantil O trabalho em carvoarias está na lista das piores formas de trabalho infantil (ListaTIP) e...

Posted by Tribunal Superior do Trabalho on Monday, 14 December 2015


SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: