NOTÍCIAS
07/12/2015 15:00 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:38 -02

'Manual' sugere como o Estado Islâmico está construindo o próprio governo

AHMAD AL-RUBAYE via Getty Images
Iraqi Shiite fighters from the Popular Mobilisation units, fighting alongside Iraqi government forces, display, upside down, the flag of the Islamic State (IS) group during a military operation aimed at the centre of Baiji, some 200 kilometres north of Baghdad on October 19, 2015. Iraqi forces advanced on three fronts against the Islamic State group, flushing out pockets of resistance in and around Baiji and closing in on Ramadi and Hawijah, officers said. AFP PHOTO / AHMAD AL-RUBAYE (Photo credit should read AHMAD AL-RUBAYE/AFP/Getty Images)

Um documento interno do Estado Islâmico (EI) que vazou e foi publicado nesta segunda-feira (7) pelo jornal britânico The Guardian indica como o grupo terrorista está formando o próprio Estado na região da Síria e do Iraque.

O "manual" traz detalhes burocráticos, como a criação de departamentos de governo, incluindo de educação e relações internacionais, além de projetos para autofinanciamento dos jihadistas e formas de controlar poços de petróleo.

De acordo com o jornal, o texto de 24 páginas, intitulado Princípios da administração do Estado Islâmico, foi escrito entre julho e outubro do ano passado, pouco depois de o grupo ter proclamado um califado em uma área entre Iraque e Síria.

O documento revela que o EI não se limita à união de jihadistas violentos, mas está preocupado com a sua expansão e proteção. O "manual" detalha, por exemplo, como o EI pretende construir campos de treinamento militar para combatentes comuns e veteranos. A ideia é que os jihadistas passem por treinamentos anuais para se atualizarem em relação à tecnologia militar, aos planos de combate, aos armamentos mais recentes e às características do inimigo.

Crianças

O documento também aponta que o EI sempre teve a intenção de recrutar crianças. Recentemente, um vídeo divulgado pelo grupo terrorista mostra meninos recebendo instruções de um jihadista e, em seguida, assassinando reféns sírios.

De acordo com o documento, as crianças devem ser "treinadas com armas leves", e aquelas que "se destacarem" serão selecionadas para tarefas de segurança, como em postos de controle e patrulhas.

Outros pontos levantados pelo manual são a necessidade de o EI estabelecer uma cultura única entre jihadistas estrangeiros e nativos e as formas de autofinanciar o grupo, como construindo fábricas de alimento próprias que supram as necessidades de cada região.

Segundo o Guardian, os documentos foram vazados por um empresário que trabalha com o EI por meio de Aymenn al-Tamimi, um pesquisador no assunto. Para Tamimi, o texto ajuda a comprovar que o EI "é um projeto que se esforça para governar, e não apenas um caso cuja única finalidade é uma guerra infinita".

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: