MULHERES
06/12/2015 12:41 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:38 -02

Juliana Paes é nova aliada da ONU Mulheres para combater violência contra mulher

Jamie McCarthy via Getty Images
NEW YORK - NOVEMBER 23: Actress Juliana Paes attends the 37th International Emmy Awards gala at the New York Hilton and Towers on November 23, 2009 in New York City. (Photo by Jamie McCarthy/WireImage)

Mais uma celebridade se tornou aliada às forças para combater a violência contra a mulher no Brasil.

A atriz juliana Paes foi nomeada Defensora para a Prevenção e Eliminação da Violência contra as Mulheres da ONU Mulheres Brasil. Segundo a ONU, ela atuará em campanhas de conscientização pública sobre a questão.

"Me sinto lisonjeada com o convite e feliz por poder usar a visibilidade e credibilidade que conquistei para ajudar a levar essa mensagem preventiva de amor e respeito a favor das mulheres", escreveu a atriz em seu Facebook.

É com muito orgulho e uma imensa alegria que hoje venho aqui contar para vocês que fui nomeada pela ONU Mulheres do...

Posted by Juliana Paes on Quinta, 3 de dezembro de 2015


A artista atuará em favor de campanhas de conscientização pública: #Dia Laranja (#OrangeDay, com ações realizadas no dia 25 de cada mês); O Valente não é Violento, iniciativa vinculada à campanha do Secretário-Geral da ONU “UNA-SE pelo fim da violência contra as mulheres”; e 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres.

No Brasil, a cada ano, 5 mil mulheres são assassinadas e, pelo menos, 50 mil são violadas sexualmente. Segundo o Mapa da Violência 2015, nos últimos 10 anos, aumentou em 54% o número de assassinatos de mulheres negras. Todos os dias, 13 brasileiras são assassinadas.

Á agência de notícias da ONU, Nadine Gasman, representante da ONU Mulheres Brasil disse:

“Juliana Paes é uma mulher empoderada, engajada socialmente e está se somando ao trabalho da ONU Mulheres na sensibilização da sociedade brasileira sobre o direito de mulheres e meninas viverem sem violência. Precisamos de vozes poderosas para ampliar o alcance de mentes e corações e evitar que a violência aconteça. A chave é a prevenção. E ela começa com conhecimento, debate e posicionamento em favor dos direitos das mulheres. Estamos confiantes de que Juliana é uma importante aliada”

Para Phumzile Mlambo-Ngcuka, diretora executiva da ONU Mulheres, a violência contra a mulher é “a violação de direitos humanos mais tolerada no mundo” e é preciso enfrentar esse crime com urgência por todo o mundo.

A afirmação foi feita nesta quarta-feira (25), Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra a Mulher na ONU.

Segundo a ONU, Ngcuka destacou que a violência de gênero acontece por conta da desigualdade e discriminação contra a mulher, acrescentando que “sua contínua presença é uma das marcas mais claras do desequilíbrio das sociedades e mostramos determinação para mudar isso”.

E é preciso mudar.

LEIA MAIS:

- É importante a violência contra a mulher cair no Enem, diz Maria da Penha

- 70% das alunas já sofreram algum tipo de violência no ambiente universitário, diz pesquisa

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: