NOTÍCIAS
27/11/2015 15:36 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:34 -02

Próximo a Lula, Delcídio ‘se descontrolou' ao saber de críticas do ex-presidente

Dida Sampaio/Estadão Conteúdo

Próximo ao ex-presidente Lula, o senador Delcídio Amaral (PT-MS) parou de depor na Polícia Federal após saber das críticas do correligionário. A informação do G1 acrescenta que o líder do governo no Senado se “descontrolou completamente”.

Segundo o Folha de S.Paulo, Lula disse na quinta-feira (26) que o senador fez uma “coisa de imbecil” e estava perplexo com a “grande burrada”.

Ao HuffPost Brasil, um petista explicou que Delcídio e Lula eram bastante próximos.

“Eles estavam se reunindo muito nos últimos dias. Toda vez que Lula vinha à Brasília, eles se encontravam. Como Delcídio é líder do governo, acredita-se que eles deviam conversar sobre conjuntura política”, comentou.

Entre os petistas que ficaram inconformados com a nota em que o PT nega solidariedade, a informação que circulava na tarde de ontem era de que o ex-presidente também não tinha gostado do que a direção do partido tinha escrito.

No Palácio do Planalto, a tática adotada foi a de não julgar o senador e também não defender.

Aliados do governo também estranharam o tratamento que o partido e Lula deu ao senador. Enquanto Delcídio prestava depoimento, um peemedebista histórico comentou que abandonar o petista seria a pior estratégia.

“Imagina como ele vai prestar depoimento após saber que Lula, seu amigo, o abandonou, que o partido quer expulsá-lo, que há partido articulando uma representação para sua cassação, que já negociam os cargos que ele ocupa. Ele não vai ter cabeça”, previu o aliado do governo.

Líder do governo no Senado, Delcídio foi preso na manhã de quarta-feira (25) por tentar atrapalhar as investigações da operação Lava Jato. A prisão foi sustentada em uma gravação na qual ele oferece um plano de fuga e R$ 50 mil mensais para o ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró. A intenção era evitar que Cerveró fechasse acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: