MULHERES
25/11/2015 18:32 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:34 -02

#MeuAmigoSecreto: Deputadas aderem a campanha contra o machismo nas redes sociais

Luciana Genro, Jandira Feghali, Luiza Erundina e Margarida Salomão, políticas brasileiras, também aderiram a ao movimento #meuamigosecreto que tomou as redes sociais nesta quarta-feira (25). De forma indireta, como pede a campanha, cada uma delas escancarou o machismo sem citar nomes e levou a discussão para a esfera política.

O #meuamigosecreto fala que respeita as mulheres, mas não suporta ver uma na Presidência da República.

Posted by Jandira Feghali on Terça, 24 de novembro de 2015


A hashtag faz alusão à tradicional brincadeira de fim de ano, quando um amigo descreve características do outro antes de revelar a identidade e entregar o presente. Com excessão de Luciana Genro, as outras políticas, indiretamente, falaram sobre questões ligadas à vida política e até, indiretamente, citaram parlamentares como Jair Bolsonaro e Eduardo Cunha, que representam vozes conservadoras no Congresso Nacional.

#meuamigosecreto é autor de um projeto que restringe o atendimento as mulheres vítimas de violência sexual e criminaliza...

Posted by Margarida Salomão on Quarta, 25 de novembro de 2015


Compartilho do mesmo #amigosecreto da querida deputada Margarida Salomão#meuamigosecreto é autor de um projeto que...

Posted by Luiza Erundina on Quarta, 25 de novembro de 2015


O #meuamigosecreto acha que "em briga de marido e mulher não se mete a colher"!

Posted by Luciana Genro on Quarta, 25 de novembro de 2015


#meuamigosecreto afirmou, no Congresso Nacional, que se uma parlamentar não fosse feia ele até a "estupraria". Apesar...

Posted by Margarida Salomão on Quarta, 25 de novembro de 2015


#meuamigosecreto uma vez disse, durante sessão da Câmara dos Deputados, que mulher que “bate como homem, tem que apanhar...

Posted by Margarida Salomão on Quarta, 25 de novembro de 2015


Na campanha, centenas de mulheres relataram atitudes, posturas e discursos machistas de pessoas de sua convivência sem revelar nomes, que não se dizem machistas mas, de certa forma, reforçam esta cultura por meio de seu comportamento.

A campanha mobilizou centenas de relatos e ganhou visibilidade, principalmente, por que aproveitou o engajamento esperado nesta quarta-feira, 25 de novembro – dia de luta mundial contra a violência contra as mulheres e de novos protestos no Brasil contra o projeto de lei conhecido como 'PL do Aborto', de autoria de Eduardo Cunha.

Carla Vitória, militante da Marcha Mundial das Mulheres em São Paulo, escreveu no blog do coletivo:

"Quando vamos juntas para as ruas protestar contra o que nos incomoda, além de estarmos um passo mais próximas dos nossos direitos, mostramos que o lugar das mulheres é também no espaço público. Mudar o mundo e a vida das mulheres ao mesmo tempo é trabalho de formiguinha".

Você também tem um "amigo secreto"? Compartilhe a sua história usando a hashtag.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: