NOTÍCIAS
25/11/2015 18:48 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:32 -02

Como o horário de verão afeta a sua vida e a sua saúde

iStock

Eis uma história de ninar para vocês: há alguns séculos, um homem revolucionário chamado Benjamin Franklin propôs um plano que consistia em alterar os relógios para que mais pessoas pudessem aproveitar a luz do sol e economizar as velas, já que o céu parecia escurecer mais cedo em certos meses do ano.

A maioria dos cidadãos do mundo não levou a sério a sua proposta.

Daí, 100 anos mais tarde, veio o colecionador amador de insetos, o britânico George Vernon Hudson. Ele egoistamente inventou um plano similar para alterar a hora e assim poder ter mais horas disponíveis para desfrutar de seu passatempo ao ar livre.

E assim, nasceu o horário de verão, fazendo com que algumas pessoas adiantem seus relógios em uma hora na primavera e atrasem em uma hora no fim do verão.

Eis como o horário de verão influencia a sua saúde (e o que pode ser feito para minimizar seus efeitos):

Pode levar um tempo para o seu corpo se ajustar.

Pode levar até uma semana para se ajustar a essa mudança, quer seja no início ou no fim do horário de verão, de acordo com o Harvard Health.

É como o jet lag, só que sem a viagem (cadê a graça?). Para ajudar a transição, os especialistas recomendam uma boa noite de sono e ter um horário para acordar. Uma soneca também ajuda.

A mudança de horário também afetará a sua produtividade.

Uma interrupção na sua rotina de sono pode causar um contratempo depois de acordar. Uma pesquisa mostrou que o sono causado pelo horário de verão pode levar a uma perda na sua produtividade no dia seguinte, de acordo com um estudo de 2012, publicado no Jornal de Psicologia Aplicada.

A mudança de horário também contribui para um aumento no "cyberloafing", ou seja, ficar matando o tempo na internet (fique longe daqueles vídeos de gatinhos).

"Retroceder" o relógio pode ser bom para a sua saúde.

Uma boa notícia, afinal: Existe uma diminuição nos ataques cardíacos próximo ao fim do horário de verão, relata Harvard Health. Essa hora extra com certeza faz algum bem para o corpo.

Agora que já falamos sobre o lado bom, precisamos dizer que os estudos mostram que há um aumento em ataques cardíacos no início da mudança de horário o que poderia estar associado ao fato que perder o sono aumenta o estresse e dá menos tempo de recuperação durante à noite. Para manter os níveis de estresse ao mínimo, tente fazer as sete ou nove horas de sono sempre que possível e tente uma dessas dicas rápidas para ajudá-lo a relaxar.

Existem mais condutores sonolentos durante a mudança de horário.

Os acidentes de trânsito são mais comuns próximo ao início do horário de verão, mas podemos dizer algo sobre a mudança de horário em geral e os seus efeitos nos padrões de sono da pessoa (detalhe: não é nada bom).

Os estudos descobriram que ter o mesmo horário o ano todo poderia reduzir o número de acidentes fatais, potencialmente poupando até 366 vidas ao ano. Considerando que dirigir com sono é mais perigoso do que dirigir sob a influência, isso é um fato importante. Se você se sentir exausto, evite ficar atrás do volante.

Pode bagunçar o seu apetite.

Sentir “raiva + fome" é algo real. As pesquisas mostram que dormir pouco (resultado da temida mudança horária) pode alterar o seu apetite e fazer com que você tenha mais vontade de comer. Urgh. Tente comer um destes pratos aqui para deixá-lo bem satisfeito se o seu estômago estiver roncando de fome.

A falta de sono pode influenciar o seu humor.

Se ficar com "raiva e fome" não fosse suficiente, dormir pouco pode deixar você com "sono, raiva e fome". Um estudo recente encontrou que a falta de sono faz com que seja mais difícil regular o seu humor.

A melhor maneira de evitar esse temido mau humor (ou qualquer um dos efeitos negativos) é priorizar o sono e continuar fazendo isso –para a próxima mudança de horário que pode ser daqui a uns meses.

(Tradução: Simone Palma)

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: