COMPORTAMENTO
18/11/2015 18:53 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:32 -02

Ainda é Novembro Azul. E, para além do bigode, é bom começar a se cuidar...

Em 2008, o Instituto Lado a Lado criou a campanha Um Toque, Um Drible, com a ideia de quebrar paradigmas em relação à ida do homem ao médico. A partir de 2012, o movimento ganhou força e passou a ser batizado como Novembro Azul. O foco continuou praticamente o mesmo: incentivar a realização de exames preventivos e divulgar informações sobre os cuidados masculinos, além do combate e conscientização sobre as principais doenças que nos atingem, como o câncer de próstata.

Um dos objetivos também é erradicar, ou ao menos diminuir, o preconceito e a resistência ao exame para descobrir o problema.

No ano passado, foram realizadas cerca de 2.400 ações em todo o Brasil para alertar a população – uma das mais conhecidas é a iluminação de pontos turísticos (como Cristo Redentor (RJ), Congresso Nacional (DF), Teatro Amazonas (AM), Monumento às Bandeiras (SP) etc.), que trocaram o tom rosa (do Outubro Rosa) e ganharam a cor azul. Um dos objetivos da campanha nesse ano é a atuação na esfera política, debatendo sobre as dificuldades de acesso ao diagnóstico precoce do câncer de próstata e aos diversos tipos de tratamento.

movember

Compartilhe a causa

Se quiser se engajar pelo movimento, o site do instituto fornece um material bem legal para você imprimir e ajudar a divulgar o Novembro Azul. Campanhas de conscientização acontecem por todo o país. Umas delas, realizada pela startup brasileira O Polen, transforma posts nas redes sociais em doações para instituições de pesquisa e tratamento do câncer. Com o app (disponível só para Android), basta você tirar uma foto, escolher uma das três molduras da campanha Juntos para Salvar Vidas (ligada ao Novembro Azul) e compartilhar sua foto. Automaticamente, R$ 3 serão doados, sem que você precise pagar algo.

Alguns dados sobre câncer de próstata

movember

– Pesquisa recente da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), realizada com 3500 pessoas, revela que 51% dos homens não procuram o urologista.

– Foi constatado pelo Instituto Nacional do Câncer (INCA) que há mais incidências de câncer de próstata do que de mama. Só em 2014 foram registrados 68 800 novos casos de tumor em homens. Nas mulheres, o número foi de 52 680. Para esse ano, infelizmente, é esperado um aumento de ambas as doenças.

– De acordo com a ONG Cancer Care (Inglaterra), 1,1 milhão de homens serão afetados pelo câncer de próstata. A enfermidade provoca mais ou menos 307 mil mortes no mundo a cada ano.

– Esse tipo de tumor é o mais frequente em pessoas do sexo masculino depois do câncer de pele e o sexto mais comum no Brasil, segundo dados do Inca.

– As chances de cura para quem descobre o tumor precocemente são de até 90%. Como a doença não apresenta sintomas no estágio inicial, recomenda-se que, a partir dos 45 anos, homens com casos da doença na família ou negros devem procurar um urologista para fazer exames de dosagem de antígeno prostático específico (PSA) e de toque retal. Os demais grupos precisam buscar o médico após os 50 anos.

– Segundo enquete do site Par Perfeito, 70% dos homens nunca fizeram o exame de prevenção ao câncer de próstata. Mais: 47% deles revelam que não fizeram o teste por preconceito.

- 67% das mulheres acreditam que os homens ainda têm resistência a realizar exames preventivos contra câncer de próstata e testículo por medo de preconceitos, de acordo com enquete do site Par Perfeito.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: