NOTÍCIAS
12/11/2015 19:34 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:24 -02

Bancada mineira emplaca pelo menos R$ 160 milhões no orçamento para Mariana

EUGENIO MORAES/HOJE EM DIA/ESTADÃO CONTEÚDO

Embora as BHP, que controla a mineradora Samarco junto com a Vale, tenha afirmado que se responsabilizará com todos os custos da tragédia de Mariana, a bancada mineira da Câmara dos Deputados duvida que a parte financeira do dano será reparada imediatamente.

Para evitar que a estrutura da cidade, como escolas e postos de saúde, só seja reerguida após a judicialização do desastre, os deputados incluíram nas disposições gerais da Lei de Diretrizes Orçamentária (LDO) um dispositivo para assegurar recursos suficientes para atendimento da população da região atingida pelo rompimento das barragens. Cabe ao plenário ratificar a decisão.

De acordo com o deputado Domingos Sávio (PSDB-MG), o valor deve ser de pelo menos R$ 160 milhões - valor fixo destinado as bancadas.

"A emenda é sem prejuízo a responsabilização dos envolvidos. Não fugimos da responsabilidade de que é óbvio que as empresas tem que responder por isso e seremos duros, mas elas o farão após decisão judicial. Não pode deixar essas pessoas na penúria. É absolutamente urgente que o Estado se atente para isso“, explica o tucano.

O deputado Edmar Arruda (PSC-PR) questionou a emenda. Segundo ele, não é justo tirar dinheiro do contribuinte para fazer reparos de uma empresa privada. "Quem tem que responder por esse prejuízo são as empresas envolvidas no desastre de Minas Gerais."

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: