NOTÍCIAS
11/11/2015 17:39 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:24 -02

As 18 medalhas de ouro não conseguiram tirar Michael Phelps do alcoolismo e da depressão

michael phelps

Após ser preso pela terceira vez por dirigir bêbado, Michael Phelps, simplesmente o maior campeão olímpico de todos os tempos, decidiu que era hora de rever sua vida.

Dono de invejáveis 22 medalhas olímpicas (18 delas são de ouro), Phelps se declarou culpado pelo ocorrido em Baltimore, passou a cumprir pena em condicional e agora encara um duro processo de reabilitação. Ele acabou suspenso por seis meses pela federação americana e foi excluído do Mundial de Kazan, na Rússia, em agosto

Na belíssima edição da Sports Illustrated, o campeão é sincero até o osso sobre como foi atravessar um mar dos mais turbulentos.

'Eu realmente estava em um lugar escuro. Não queria mais estar vivo"

O tratamento contra o alcoolismo, crê o nadador, vai fazer seus resultados nas piscinas voltarem ao patamar mítico de antes. Mas a rehab deu ao atleta novas perspectivas também:

"Descobri muitas coisas sobre mim que eu provavelmente sabia, mas eu não queria perceber. Uma deles foi que por um longo tempo, me via como o atleta que eu era, mas não como um ser humano. (Na reabilitação) pude estar com estranhos que sabem exatamente quem eu sou, mas não me respeitavam pelo que eu fiz, mas sim pelo o que sou enquanto ser humano".

Com as coisas entrando nos eixos novamente, o foco é voltar ao pódio olímpico ano que vem, no Rio de Janeiro. E ele vai precisar estar inteirinho para as sempre ultracompetitivas seletiva americanas.

O time americano sai das seletivas de Omaha, em Nebraska, no final de junho. Resta alguma dúvida de que teremos mais uma história de cinema para contar?

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: