NOTÍCIAS
10/11/2015 20:05 -02 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02

Salsichas têm DNA humano e carnes 'intrusas', revela pesquisa

naufalmq via Getty Images
Gourmet Grilled Hots Dogs sandwich

"Leis são como salsichas: é melhor não ver com elas são feitas", diz o enunciado atribuído a Otto von Bismarck, chanceler prussiano que unificou a Alemanha.

A julgar pelos resultados de uma pesquisa realizada pela start up Clear Labs, a frase continua correta: após ter analisado 345 salsichas de 75 marcas americanas, a empresa encontrou coisas que não que não deviam estar lá em 14,4% das amostras.

Os pesquisadores descobriram, por exemplo, que 5,5% dos embutidos tinham proteína de animais que não estavam anunciadas no rótulo -- salsichas de frango que tinham carne de porco, por exemplo.

A notícia é especialmente alarmante para pessoas que não comem carne suína por razões religiosas, como muçulmanos e judeus.

Pior: 10% das salsichas vegetarianas testadas tinham traços de DNA de porco ou frango.

Mas não para por aí... Seis das 345 salsichas analisadas continham DNA humano, possivelmente vindos de fios de cabelo, unhas, pedaços de pele e outras nojeiras.

Vou passar mal?

A probabilidade de sofrer intoxicação alimentar por consumo de DNA humano é baixa. Até porque quando roemos unhas ou damos beijos na boca, estamos colocando muito DNA humano pra dentro.

Como explicou Sasan Amini, cofundadora da Clear Labs, ao HuffPost, trata-se mais de uma coisa NOJENTA do que perigosa:

"É improvável que o DNA humano seja danoso à saúde dos consumidores. Em geral, consideramos o DNA humano um problema higiênico mais do que uma questão de saúde pública".

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: