NOTÍCIAS

Bancada tucana decide romper com Eduardo Cunha

10/11/2015 22:12 -02 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02
Montagem/Câmara/Agência Brasil

O PSDB, o maior partido da oposição, decidiu nesta terça-feira (10) romper com o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

O partido sustentava um apoio velado ao peemedebista na expectativa de que ele aceitasse um dos pedidos de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff.

Com 54 deputados, a bancada pode ser decisiva se o processo contra Cunha chegar ao plenário. No Conselho de Ética, o PSDB tem dois titulares, que já sinalizaram voto contrário ao presidente da Casa.

inadmissível que o terceiro homem na hierarquia institucional do país esteja sendo processado pelo Supremo Tribunal Federal por corrupção, e ao mesmo tempo, responda no Conselho de Ética por ter mentido aos seus pares, quando afirmou que não possuía recursos escondidos no exterior”, diz trecho da nota do partido.

Cunha foi denunciado pelo Ministério Público por lavagem de dinheiro e corrupção. Os investigadores sustentam que ele mantém contas na Suíças abastecidas por dinheiro de propina.

Confira íntegra:

Nota do deputado Silvio Torres, secretário-geral do partido

Estou satisfeito com a posição da bancada do PSDB, que decidiu, agora há pouco, por unanimidade, exigir o afastamento de Eduardo Cunha do cargo de presidente, por avaliar que ele não tem mais condições de presidir a Câmara. As entrevistas que ele deu a imprensa neste final de semana, comprometeram suas possibilidades de escapar das acusações que pesam sobre ele.

É inadmissível que o terceiro homem na hierarquia institucional do país esteja sendo processado pelo Supremo Tribunal Federal por corrupção, e ao mesmo tempo, responda no Conselho de Ética por ter mentido aos seus pares, quando afirmou que não possuía recursos escondidos no exterior.

Isso, em um momento em que o pais vive uma grave crise econômica, social e ética, e que depende da Camara Federal, para a busca de soluções que ajudem a sociedade à beira de total desesperança.

A decisão da bancada será levada à Executiva Nacional do partido, que se reunirá no próximo dia 26, para debater esse e outros outros temas da crise política nacional.

Deputado Silvio Torres, secretario-geral do PSDB

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: