NOTÍCIAS

Em Brasília, Belo Horizonte ou São Paulo o pedido das mulheres e movimentos populares é o mesmo: Pílula fica. Cunha, sai

08/11/2015 18:01 -02 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02
Marcelo Sants / Estadão Conteúdo

protesto sp

A tarde deste domingo é marcada por manifestações pedindo a saída de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) da presidência da Câmara e novos rumos na agenda política. Os protestos são organizadas pela Frente Povo Sem Medo, que concentra 30 movimentos sociais.

Os principais focos dos manifestantes são o projeto de lei 5.069 (que, entre outras medidas, dificulta o aborto legal e restringe a venda de medicamentos abortivos), de autoria de Cunha, e o ajuste fiscal promovido pelo governo Dilma Rousseff.

Em São Paulo, os manifestantes chegaram a ocupar os dois sentidos da Avenida Paulista, na altura do Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand, o Masp. Além de cartazes contra o PL 5.069, muitas bandeiras do MTST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra), da CUT (Central Única dos Trabalhadores) e da CTB (Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras Brasileiros) foram vistas no local.

De acordo com informações da Folha de S. Paulo, a Polícia afirma que 600 pessoas ocupam a área. Já a organização fala em números bem mais altos: 20 mil manifestantes. No evento criado no Facebook, o número de pessoas confirmadas para o protesto é menor: 3,5 mil.

Em Brasília*, protesto contra o presidente da Câmara reuniu cerca de 200 pessoas ligadas ao Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST), de acordo com o movimento. Os manifestantes partiram do terminal rodoviário da capital federal e caminharam pelo Eixo Monumental até o gramado em frente ao Congresso Nacional. No local, incendiaram um boneco do peemedebista feito por eles.

  • André Dusek / Estadão Conteúdo
    Brasília
  • Renato Cerqueira / Estadão Conteúdo
    São Paulo
  • Isac Kosminsk / Estadão Conteúdo
    Belo Horizonte
  • Renato Cerqueira / Estadão Conteúdo
  • Renato Cerqueira / Estadão Conteúdo
  • Renato Cerqueira / Estadão Conteúdo
  • Renato Cerqueira / Estadão Conteúdo
  • Renato Cerqueira / Estadão Conteúdo
  • Renato Cerqueira / Estadão Conteúdo

Cerca de 300 pessoas, conforme informações da Polícia Militar, participam de manifestação contra o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), na Praça da Liberdade, Região Centro-Sul de Belo Horizonte. Mulheres, muitas com placas de "Fora Cunha", dançam ao som de uma charanga. Integrantes do Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas (MLB) também participam do protesto. "O grito mais entoado é "ai, ai, ai, ai empurra o Cunha que ele cai".

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), foi alvo de protestos na manhã de ontem na Cidade Industrial de Curitiba (CIC), na periferia da capital paranaense. O ato foi organizado pelo Movimento Popular pela Moradia (PMP) e pelo movimento Povo Sem Medo, que reúne outros movimentos populares. Eles pedem a renúncia de Cunha ao cargo. Além do deputado, a manifestação atacou a aliança do governo federal com setores considerados conservadores e o provável corte de investimentos nos programas populares.

*Com informações Estadão Conteúdo

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: