NOTÍCIAS

Governo de MG confirma 2ª morte após mar de lama com rompimento de barragens

07/11/2015 21:02 -02 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02

marina barragens

A Secretaria de Governo do Estado de Minas e o Corpo de Bombeiros afirmaram, no início da noite deste sábado), que um corpo foi localizado no leito do Rio Doce, a cerca de 100 km de Mariana.

Ele teria sido levado pela enxurrada de lama após o rompimento da barragem da mineradora Samarco na tarde da última quinta-feira. É a segunda morte relacionada ao acidente, apesar de ainda não haver confirmação da Prefeitura de Mariana. Os bombeiros checam se a vítima era da cidade ou de algum outro município por onde a enxurrada passou.

Na sexta-feira, um outro corpo também tinha sido achado nessa região, mas não foi possível relacioná-lo ao desmoronamento. Bombeiros tentam identificar o corpo para descobrir se a pessoa poderia estar no caminho do mar de lama.

Ao final da tarde, a Prefeitura de Mariana colocou em seu site uma lista com os nomes de 28 desaparecidos: 13 funcionários da empresa Samarco e 15 moradores de distritos atingidos pelo rompimento de duas barragens.

A maioria é de Bento Rodrigues, local mais afetado. Entre os moradores, há três pessoas com o mesmo sobrenome: uma mulher, um menino de 5 anos e um bebê de 3 meses.

No início da tarde o prefeito de Mariana, Duarte Junior (PPS), tinha anunciado que eram 25 os desaparecidos e afirmou que está sendo feita segurança 24 horas no distrito de Paracatu, onde, em partes mais altas, é possível chegar de carro.

O prefeito ainda cobrou dos governos estadual e federal ajuda para recuperação do município.

"Sem deixar de cobrar as responsabilidades da empresa", disse.

E afirmou que vai ser difícil reconstruir o vilarejo. "É um patrimônio, havia muita história ali. Mas acho difícil que um dia se recupere aquela região", afirmou. "Vamos cobrar a empresa para fazer tudo para devolver a vida àquelas pessoas."

  • Hugo Cordeiro / Estadão Conteúdo
  • Hugo Cordeiro / Estadão Conteúdo
  • Hugo Cordeiro / Estadão Conteúdo
  • Hugo Cordeiro / Estadão Conteúdo
  • Hugo Cordeiro / Estadão Conteúdo
  • Hugo Cordeiro / Estadão Conteúdo

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: