NOTÍCIAS

Canadá mantém promessa de acolher 25 mil refugiados sírios até 1º de janeiro

06/11/2015 10:25 -02 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02
RADEK MICA via Getty Images
Female migrants sit on a bench at the Bela-Jezova detention centre near Bela pod Bezdezem, northeast of Prague, during sunset on November 5, 2015. The Czech detention centre for refugees criticised at home and abroad for poor living conditions opened its gates to ambassadors and journalists to showcase recent improvement. The detention centre had earned the scorn of the United Nations who called the conditions there 'degrading'. AFP PHOTO / RADEK MICA (Photo credit should read RADEK MICA/AFP/Getty Images)

O Canadá vai acolher 25 mil refugiados sírios até 1º de janeiro, disse nessa quinta-feira (5) o primeiro-ministro, Justin Trudeau, reafirmando promessa eleitoral.

“O objetivo continua a ser o de ter 25 mil refugiados sírios antes de 1º de janeiro”, disse Trudeau à Rádio Canadá, na primeira entrevista depois de tomar posse, na quarta-feira (4).

Para atingir esse objetivo em curto espaço de tempo, vários ministérios foram mobilizados e é "necessário ter parcerias com as províncias e os municípios. Os canadenses querem uma ação responsável e refletida” e eles “escolheram dar um mandato de abertura e de responsabilidade” para que o país “se comprometa de forma sólida no panorama internacional”, afirmou o primeiro-ministro.

Para Trudeau, o acolhimento de 25 mil refugiados não é o mais difícil, é preciso “dar perspectivas de sucesso às famílias”, de forma a beneficiar a comunidade e o país.

Além disso, ele lembrou que o ministro da Defesa, Harjit Sajjan, trabalha para acabar com ataques aéreos das forças canadenses, no quadro da coligação internacional contra o grupo Estado Islâmico.

A retirada dos caças canadenses será feita rapidamente, de forma "responsável e respeitosa" para os aliados do Canadá, afirmou.

Sajjan vai analisar as diferentes opções para garantir que a promessa de parar os ataques contra o Estado Islâmico seja cumprida.

Os aliados “compreendem bem que este governo foi eleito com um mandato muito claro de terminar esses ataques”, acrescentou o primeiro-ministro, garantindo que o Canadá continua “comprometido com a luta contra o Estado Islâmico”.

Além do acolhimento de refugiados, o Canadá vai garantir ajuda humanitária na área e concentrar as “Forças Armadas no papel de formação em vez de combate”, disse Trudeau.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: