NOTÍCIAS

Barragem se rompe, causa destruição e deixa desaparecidos em Minas Gerais (FOTOS)

05/11/2015 22:53 -02 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02

barragem

Uma barragem de rejeitos da mineradora Samarco rompeu-se na tarde desta quinta-feira (5), entre as cidades mineiras de Mariana e Ouro Preto, a cerca de 100 km da capital Belo Horizonte (MG). Com o acidente, o distrito de Bento Rodrigues, foi alagado.

De acordo com o assessor de comunicação do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, major Rubem da Cruz, a corporação monitora uma terceira barragem na cidade de Mariana, que poderia ter um novo risco de rompimento.

ATUALIZAÇÃO: De acordo com o jornal O Estado de S. Paulo, até as 18h desta sexta, o Corpo de Bombeiros havia confirmado uma morte. Pelo menos 270 pessoas ficaram desabrigadas. O MPE investiga se uma obra na barragem teve alguma influência na ruptura. De início, o jornal O Estado de S. Paulo havia informado 17 mortos.

A tragédia pode transformar-se na mais grave na área ambiental do Estado. Segundo fontes locais, mais de 50 feridos foram socorridos no local - 13 foram levados para o Hospital Monsenhor Horta, em Mariana, alguns em estado grave.

A população estimada de Bento Rodrigues, município que foi totalmente alagado, fica a 25 km da região central do município, é de 620 pessoas, residentes em 200 casas, de acordo com os dados do governo do Estado.

"Uma avalanche de lama destruiu casas, escola, igreja, posto de saúde e carros. Muitas famílias estão desalojadas e sem notícias de seus familiares. O resgate é difícil e somente com helicópteros é possível chegas às áreas destruídas", relatou ao jornal O Estado de S. Paulo o secretário de Saúde de Mariana, Juliano Duarte. "Muitos desabrigados estão alojados provisoriamente em uma escola. É uma das cenas mais tristes que já vi", lamentou.

  • Hugo Cordeiro / Estadão Conteúdo
  • Hugo Cordeiro / Estadão Conteúdo
  • Hugo Cordeiro / Estadão Conteúdo
  • Hugo Cordeiro / Estadão Conteúdo
  • Hugo Cordeiro / Estadão Conteúdo
  • Hugo Cordeiro / Estadão Conteúdo

Com informações da Estadão Conteúdo

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: