ENTRETENIMENTO

10 motivos pelos quais a nova série 'Supergirl' é superfeminista

05/11/2015 16:57 -02 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02
Reprodução/CBS

ATENÇÃO: O TEXTO PODE CONTER SPOILERS SOBRE O PRIMEIRO CAPÍTULO.

1. A maioria dos personagens é mulher.

A protagonista é uma mulher - e super-heroína! -, o principal apoio familiar dela é sua irmã, uma cientista genial, e a maior vilã, a tia.

Além disso, dois personagens importantes são homens negros e há um esforço para que o elenco tenha diversidade.

Para lacrar mesmo, só faltou uma mulher negra que tivesse um papel importante na trama. Quem sabe na próxima temporada?

2. Ela foi enviada ao planeta Terra para proteger, pasmem: o Super-Homem.

Sim, aos 13 anos Kara deixou seu planeta, Krypton, para cuidar de seu primo na Terra. Mas durante a viagem, acabou sofrendo um desvio de rota e ficou presa por 24 anos na Zona Fantasma, onde o tempo não passa.

Quando finalmente chegou aqui, ainda era uma adolescente e Clark Kent já tinha se tornado um adulto e herói de Metrópolis.

3. Mas nem por isso teve seu destino vinculado ao dele.

Pelo contrário: sua mãe deixou uma mensagem - em um holograma, é claro - escondida na nave que dizia:

"Kara, minha corajosa filha, embora você tenha ido à Terra para proteger o jovem Kal-El, seu destino não está vinculado ao dele. Seja prudente, seja forte, seja sempre você mesma".

4. Os poderes dela são os mesmos que os de Clark.

Afinal, é exatamente isso que o feminismo defende, certo? A igualdade entre os sexos!

5. A série deixa claro que representação importa, sim.

Quantas heroínas você teve como exemplo quando era criança? E quantos o seu irmão ou primo tiveram?

No episódio, assim que os noticiários começam a transmitir a primeira aparição da Supergirl, salvando um avião fora de controle, a garçonete de um bar diz: "Agora sim, minha filha vai ter em quem se inspirar".

Muito amor sim ou com certeza? <3

6. E que ser uma garota não é um insulto.

Kara trabalha em um dos conglomerados de mídia mais importantes da cidade. Quando ela vê que os veículos do grupo adotaram o nome de "Supergirl" à misteriosa garota que salvou dezenas de pessoas de um acidente de avião - não, eles não sabem que é ela -, entra na sala da chefe gritando:

- "Supergirl" ["garota", em português]? Nós não podemos chamá-la assim. É uma heroína feminina! Não deveria se chamar "Super-Mulher"? Se a chamarmos de algo menor do que ela é, não estaremos militando contra o feminismo?

E a chefe responde:

- O que tem de tão ruim em "garota"? Eu sou uma garota. E também sou chefe, poderosa, rica, sensual e inteligente.

Mais #MulherdeCOSMO, impossível!

supergirl

7. E que machistas não passarão.

Durante a briga final de Kara com Vartox, alienígena que deseja matá-la por ser filha de Alura, juíza e carcerária que o condenou no passado, ele diz:

- No meu planeta as mulheres se curvam aos homens.

- Esse não é o seu planeta.

Nem precisamos dizer que depois disso ela acaba com ele, certo?

8. Ah, desafia os homens que acham que garotas são fracas.

A batalha é acompanhada à distância por sua irmã Alex e Henshaw, ambos membros da DEO (Departamento de Operações ExtraNormal), uma agência secreta que mantém a Terra longe de perigos alienígenas.

Em um dos momentos críticos, Henshaw diz:

- Ela não é forte o bastante.

E Alex responde:

- Por que, não? Só por que é uma garota? É com isso que estamos contando - na cara dele!

9. Ele lida com uma sociedade que coloca as mulheres contra elas mesmas.

Mas faz questão de desconstruir isso. Alex se sentia feliz por Kara não assumir seu superpoderes e viver como uma garota normal.

Segundo ela mesma, quanto menor a irmã era, maior ela se sentia. Ela admite mas supera o sentimento e chama a irmã para ocupar o lugar que sempre lhe pertenceu: o de uma super-heroína.

10. E lembra que lugar de mulher é em todo lugar.

Afinal, se Kara tem os mesmo poderes que o Super-Homem - sim, visão de calor e imunidade a balas de fogo estão inclusas - porque se contentar em ser apenas uma assistente?

Lugar de mulher é nas alturas e vestindo capa sim!

*A série é exibida no canal fechado Warner todas quartas-feira, às 22h30.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS:



MAIS SÉRIES NO HUFFPOST BRASIL:

17 séries ótimas que ainda dá tempo de acompanhar